18
Set 18

D. R. — no Brasil

E pronto, é isto

 

      António (ou devo escrever Antônio?) Fagundes esteve hoje na Prova Oral, na Antena 3. A propósito da comédia Baixa Terapia, que vai estar em cena no Teatro Tivoli no fim do mês, Fagundes estava a falar do enredo e, logo depois de dizer que a terapeuta, ausente da sessão, deixara instruções para os três casais fazerem eles próprios a terapia, mas não deviam interferir na D. R. dos outros casais, perguntou se em Portugal se dizia D. R. Fernando Alvim precipitou-se e respondeu que sim. Não, não se diz. Mais: tive dificuldade – porque a abreviatura só se usa no Brasil – em apurar o que significa ao certo. É a abreviatura de «discussão de relação/relacionamento». Em suma, era preciso um polícia da língua atrás de cada falante. E lá vinha então o dilema: quis custodiet ipsos custodes?

 

[Texto 9941]

Helder Guégués às 20:40 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar

Léxico: «jejum oral»

Muito bem

 

      «Segundo o hospital, o ex-capitão do Exército [Jair Bolsonaro] continua em jejum oral, recebendo alimentação apenas pela veia, e sem sinais de infecção ou disfunções orgânicas» («Quadro clínico é estável», Metro São Paulo, 18.09.2018, p. 4).

      Jejum oral. Nunca tinha pensado nisto, mas faz sentido e é uma boa forma de o dizer. Imagino que até haja discussões sobre isto. «Ah, ele não está em jejum, ou já teria morrido.»

 

[Texto 9940]

Helder Guégués às 18:32 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «via/faixa»

Mal me refaço de uma, surge outra

 

      Como quase todas as manhãs, na informação de trânsito da rádio (era a Antena 1, mas podia ser outra qualquer), recomendava-se que se tivesse cuidado, já não sei onde, com a via mais à direita, pois estava ali um camião avariado. Disse para mim próprio: «Aposto que não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.» Ganhei. Regista, sim, via de tráfego. Não estava era preparado também para a ausência de faixa na mesma acepção. Acolhe, mas é diferente, faixa de rodagem.

 

[Texto 9939]

Helder Guégués às 15:59 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Árbitros auxiliares, fiscais-de-linha? Não

Uma questão de terminologia

 

      «Muitos dizem árbitros auxiliares e os mais antigos ainda recorrem à expressão fiscais-de-linha, termos que já não existem, já que passaram a ser designados por árbitros assistentes. Já os vulgarmente designados por árbitros de baliza são, na realidade, árbitros assistentes adicionais» («Uma questão de terminologia», Pedro Henriques, ex-árbitro e actual comentador de arbitragem, Público, 18.09.2018, p. 39).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, acho que estão a falar de ti. Acautela-te, corrige-te.

 

[Texto 9938]

Helder Guégués às 11:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar

Léxico: «quase-acidente»

Por um triz

 

      «A CP e o GPIAAF (Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Aéreos e Ferroviários) já abriram um inquérito àquilo que é considerado como um quase-acidente» («Alfa Pendular esteve em risco de descarrilar, CP já está a investigar», Carlos Cipriano, Público, 18.09.2018, p. 18).

      Quanto mais depressa for para os dicionários, melhor. Basta pensar que já vi, em traduções, close call. Pois é. Além de que já temos quase-delito, por exemplo.

 

[Texto 9937]

Helder Guégués às 10:29 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «paleoestuário»

Antes que lhe pespeguem um hífen

 

      «Actualmente, o porto situa-se numa zona seca e é constituído por “um imponente cais em silharia de calcário com mais de 40 metros de extensão, de onde sobressaem pedras perfuradas para amarração de barcos, uma rampa e uma escadaria de acesso à água do antigo paleoestuário da Boca do Rio”» («Descoberto porto romano com quase dois mil anos na Boca do Rio, em Vila do Bispo», Público, 18.09.2018, p. 15).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, agora é contigo. Depressa, antes que lhe pespeguem um hífen.

 

[Texto 9936]

Helder Guégués às 10:20 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «ultramarinista»

E mais este

 

      «Escreve Jaime Nogueira Pinto, seu amigo e, como ele, admirador de Salazar: “Para uns, [era] um tecnocrata dos Negócios Estrangeiros, um bom profissional que se limitava a executar, com brio, uma política externa em que talvez nem acreditasse muito; para outros, um convertido por Salazar aos seus pontos de vista; para alguns, um republicano patriota, com aquela costela de tradição laica e ultramarinista da I República” (O Fim do Estado Novo e o 25 de Abril, Difel, 1995)» («Filha de Franco Nogueira doa espólio nunca visto por historiadores», Bárbara Reis, Público, 17.09.2018, p. 12).

      Não posso fazer tudo. Agora é contigo, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Já tinha encontrado ultramarinista noutras leituras.

 

[Texto 9935]

Helder Guégués às 08:33 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
18
Set 18

Léxico: «tacticismo»

Se é nosso, queremo-lo

 

      «Resume o diplomata-historiador [Bernardo Futscher Pereira]: “Colocou um brilhante tacticismo ao serviço de uma estratégia condenada.” Mas antes faz uma confissão: “Custa a crer que, no seu íntimo, Franco Nogueira não considerasse a defesa do Ultramar uma causa perdida. A própria PIDE reportou a Salazar que o novo ministro estava ‘pessimista’.”» («Filha de Franco Nogueira doa espólio nunca visto por historiadores», Bárbara Reis, Público, 17.09.2018, p. 12).

      Agora é contigo, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, não posso fazer tudo.

 

[Texto 9934]

Helder Guégués às 08:28 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,