22
Set 18

Léxico: «pigouviano»

Pois devia

 

      «Por outro lado, e em maior ou menor grau, todos os impostos são distorcedores no sentido de que tendem a alterar comportamentos dos agentes económicos. Mas nem todas essas distorções são indesejáveis, principalmente quando os mercados geram soluções económicas e sociais muito ineficientes ou inequitativas. Nestes casos, os impostos podem ser utilizados para induzir mais eficiência (uma tributação correctiva através de impostos intencionalmente distorcedores, também chamados pigouvianos), não só permitindo gerar receita fiscal, como melhorar a eficiência na afectação de recursos» («“Imposto Riobles” à pressão», António Bagão Félix, Público, 21.09.2018, p. 55).

      Claro que, em português, devia ser «piguviano», mas o Sr. Arthur C. Pigou talvez não se reconhecesse na palavra. Logo, pigouviano, até porque não é caso único. Não dizemos, por exemplo, «gaullista»? O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não diz. Dois dicionários bilingues da Infopédia é que registam «gaulista», com um ele apenas.

 

[Texto 9971]

Helder Guégués às 16:10 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «agro-biodiverso»

Nem sequer é salto

 

      «Por outro lado, a “uniformização da produção agrícola está a destruir o nosso património agro-biodiverso e nutricional, bem como as nossas tradições gastronómicas”, prossegue este partido [PAN], realçando a “extrema importância de preservar a biodiversidade local, a sustentabilidade dos ecossistemas bem como as características paisagísticas”» («PAN exige que os rótulos do azeite indiquem a sua origem e sistema produtivo», Carlos Dias, Público, 21.09.2018, p. 21).

      Não é um salto muito grande, ou nem sequer é salto, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, pois já registas agro-biodiversidade.

 

[Texto 9970]

Helder Guégués às 15:32 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «sismovulcânico»

Mais uma desamparada

 

      «Desde 20 de setembro foram registados 97 eventos de atividade sísmica no arquipélago dos Açores, oito dos quais sentidos. A informação é avançada pelo Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) que considera que se tem registado uma “atividade sísmica significativamente acima dos valores normais numa região epicentral no mar, situada entre 1 e 5 km a sul da Povoação, ilha de S. Miguel”» («Açores. Proteção Civil apela a medidas de autoproteção após 97 sismos», Rádio Renascença, 22.09.2018, 9h07).

 

[Texto 9969]

Helder Guégués às 15:31 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «padbol»

Não é tabu

 

      «É uma mistura de padel, com futebol e futevólei. O padbol é uma modalidade recente em Portugal, mas já consolidada em alguns países. O desporto atrai antigas estrelas do futebol e a dupla Raul Meireles/Bosingwa estará em ação, este fim-de-semana, no torneio Breathe Soccersoul, no Parque da Cidade, no Porto» («Conheça o padbol, um desporto novo que seduz estrelas do futebol», Rádio Renascença, 21.09.2018, 14h15).

      Hélio Martins, organizador do primeiro torneio de padbol, no Porto, «acredita que a modalidade vai deixar de ser um tabu», mas isso é porque não sabe o que significa a palavra «tabu», só isso. Quanto a ti, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, actualiza-te, homem, dicionário. Espera, mas não seria melhor «padebol»? É que os outros três nomes têm um ezinho: padel, futebol, futevólei.

 

[Texto 9968]

Helder Guégués às 09:14 | comentar | ver comentários (6) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «traçabilidade»

Não diz respeito a traças

 

      «Para que seja garantida a “segurança alimentar”, o despacho [2515, publicado em Março de 2017 pelos ministros da Ciência, Planeamento e das Infra-Estruturas, Economia, Ambiente e Agricultura] propõe a realização de um “estudo da qualidade dos azeites e de técnicas para a sua traçabilidade e autenticidade” que terá de ser expressa através de “uma designação de origem”» («PAN exige que os rótulos do azeite indiquem a sua origem e sistema produtivo», Carlos Dias, Público, 21.09.2018, p. 21).

 

[Texto 9967]

Helder Guégués às 09:13 | comentar | ver comentários (5) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «regulamentarismo»

Faltam sempre muitos

 

      «Em Portugal vigora um modelo que se pode considerar abolicionista. O proxenetismo é penalizado. Face a um consenso cada vez maior na academia portuguesa quanto à necessidade de se regulamentar o trabalho sexual — exercido de forma consentida e informada entre pessoas adultas —, garantindo direitos, algumas associações feministas têm feito esforços para que se legisle no sentido oposto, o de considerar a prostituição uma forma de violência contra as mulheres. Uma das propostas é a adopção do modelo nórdico» («Deve ser legal? Conferência junta ex-prostitutas em Lisboa», Aline Flor, Público, 21.09.2018, p. 14).

      Modelo nórdico, que é, ficamos a saber pelo artigo, de neo-abolicionismo. Há vários modelos. Por exemplo, o regulamentarismo: «A prostituição é regulamentada, dando enquadramento legal ao negócio. Prevê acesso à saúde, segurança social, impostos. Existe na Alemanha, Holanda, algumas regiões da Austrália.» No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔.

 

[Texto 9966]

Helder Guégués às 09:07 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «sumidades»

Não somos nós

 

      «“No âmbito de uma investigação por tráfico de estupefacientes, que decorria há cerca de seis meses, foi dado cumprimento de mandado de busca domiciliária, tendo sido apreendidas 210 plantas de canábis em várias fases de maturação”, além de “três quilos de sumidades” e 35 doses de folhas da mesma planta prontas para consumo, afirma em comunicado o Comando Territorial de Coimbra da GNR» («Sexagenário detido por cultivo de 210 pés de canábis na Lousã», Rádio Renascença, 21.09.2018, 16h05).

      Sim, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, eu sei, sou uma sumidade, e tu também, mas aqui é no plural, sumidades, de que se fala — até na lei, vê aqui — muito a respeito da canábis. Sumidades são as pontas da planta, com as últimas folhas e/ou flores na parte mais alta. Cá está, na parte mais alta, porque sumidade é o ponto mais alto, cimo, cume, topo.

 

[Texto 9965]

Helder Guégués às 09:04 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
22
Set 18

Ortografia: «foliar»

Atrás de cada folha, um erro

 

      «O que aconteceu às vinhas de António não foram [sic] caso único. O mesmo conta que “este ano, aqueles [cachos de uvas] que conseguiram sobreviver foram aqueles que estavam em vinhas mais frondosas e que tinham uma área folear bastante maior”, evitando o sol forte do mês de agosto» («Vindimas 2018. Expetativas de colheita meia vazia por força do clima», Rádio Renascença, 20.09.2018, 13h00).

      O adjectivo referente a folha? É foliar. Existe, é verdade, o verbo folear (no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora: ✘; no VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✔), usar o fole.

 

[Texto 9964]

Helder Guégués às 08:56 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,