25
Set 18

Ortografia: «com certeza»

Velha — mas sempre renovada

 

      «O MP “tem elementos concerteza”, mas também “tem que ter provas”, concluiu o antigo diretor da PJM» («“Inverosímil, mas nada é impossível”, diz antigo diretor da PJ Militar», Manuel Carlos Freire, Diário de Notícias, 25.09.2018, 21h17).

      Está errado, Manuel Carlos Freire, pois com certeza. Trata-se de uma locução adverbial, não de uma palavra. Sem revisão, é sempre a aviar disparates.

 

[Texto 9994] 

Helder Guégués às 21:38 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

«A sugestão de»?

Eu não a conheço

 

      «É história antiga, a do lagarto da Penha. Mas antes de o bicho entrar em cena diga-se que a Penha, a de França, deve o seu nome a António Simões, santeiro e dourador lisboeta que escapou à justa de morrer em Alcácer-Quibir [sic]. Salvou-o da morte certa Nossa Senhora da Penha, cujo santo nome António invocou nos areais africanos, quando estava à rasca. Mal chegado a Lisboa, e a sugestão de um padre jesuíta, espetou um estandarte com a figura da Senhora num terreno arrabaldino chamado Cabeça de Alperche, que desde a época muçulmana, pelo menos, era lugar de olivais e vinhedos, pomares e hortas» («O lagarto da Penha», António Araújo, Diário de Notícias, 9.09.2018, 6h01).

      Pode ser, neste caso, falha minha, mas não conheço esta sintaxe. Não será confusão com «a conselho de», esta sim legítima? Só conheço «por sugestão de».

 

[Texto 9993]

Helder Guégués às 21:17 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Cidra/sidra

Continua a confusão

 

      «Roland Barthes chamou-lhe “órgão antológico”. E, como todos sabem, o cérebro de Einstein andou em bolandas até ir parar ao Kansas, onde repousou durante décadas em dois grandes vidros de conserva guardados numa caixa de cidra. Mas, antes disso, o proprietário daquele cérebro de antologia também viajou, e viajou muito» («Einstein on the beach», António Araújo, Diário de Notícias, 2.09.2018, 6h19).

      A nossa primeira obrigação é duvidar. Numa caixa de cidra? Em todo o lado leio que os frascos estavam guardados «inside an old cider box». («The bottom box was labelled Costa Cider», leio na página da Internet da BBC.) Ora, cider é a nossa sidra; o citron inglês é que é a nossa cidra.

 

[Texto 9992]

Helder Guégués às 20:14 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Ulisses/Odisseu

Uma odisseia

 

      «O historiador norte-americano Laurence Bergreen, autor de um livro sobre a primeira circum-navegação, iniciada em 1519, por Fernão de Magalhães, assinalou à Lusa que “talvez ainda haja coisas para descobrir sobre a viagem” do português. [...] Bergreen considera Magalhães “um Odisseu [figura da mitologia grega] da vida moderna: é uma lenda, mas é real”» («Talvez ainda haja coisas para descobrir sobre a viagem de Fernão de Magalhães», Diário de Notícias, 23.09.2018, 10h09).

      Este vem do grego, mas estamos mais habituados ao seu nome latino, Ulisses. Boa percentagem de leitores, aposto, não saberá que se trata do mesmo herói grego lendário. Entretanto, deve reparar-se nisto: referente a Ulisses, temos um adjectivo, ulisseu; referente a Odisseu, não conheço nenhum. Odisseico é relativo a odisseia e não a Odisseu. (Infelizmente, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora esqueceu-se de odissaico.)

 

[Texto 9991]

Helder Guégués às 18:34 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Os fatos do AO90

Sabem, sabem, e é o que se vê

 

      «A PGR [em comunicado enviado à Renascença] refere ainda que “em causa estão fatos suscetíveis de integrarem crimes de associação criminosa, denegação de justiça, prevaricação, falsificação de documentos, tráfico de influência, favorecimento pessoal praticado por funcionário, abuso de poder, recetação, detenção de arma proibida e tráfico de armas”» («Tancos. Detidos diretor da PJ Militar e comandante da GNR de Loulé», Rádio Renascença, 25.09.2018, 11h59).

      Gostava de ler aquele comunicado para ver de quem são os fatos talhados à medida da ignorância de tantos indocíveis diplomados.

 

[Texto 9990]

Helder Guégués às 13:23 | comentar | ver comentários (4) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «sinápsidas»

Desconhecida dos dicionários

 

      «“Para o fazer, tínhamos de mergulhar até aos registos fósseis e observar os precursores extintos dos mamíferos, os sinápsidas [classe que também inclui os mamíferos vivos e os seus precursores] que não eram mamíferos”, conta Katrina Jones [da Universidade de Harvard]» («Antigos fósseis ajudam-nos a perceber a evolução da coluna nos mamíferos», Teresa Sofia Serafim, Público, 25.09.2018, p. 31).

 

[Texto 9989]

Helder Guégués às 11:39 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «jarmelista»

Do Jarmelo

 

      A Antena 1 estava há momentos a entrevistar o Professor Fernando Carvalho Rodrigues, que vive agora em Casal de Cinza, a 12 quilómetros da Guarda. Claro, hoje em dia já não põe satélites em órbita, mas tem um projecto para criar vacas jarmelistas. Jarmelista o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora regista, mas esquece-se das variantes: a primeira, jermela, podemos vê-la em Aquilino Ribeiro, e ainda há outra, jarmeleira.

 

[Texto 9988]

Helder Guégués às 10:53 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
25
Set 18

Os nomes dos ventos

Muitas lacunas

 

      «A costa algarvia será afetada por condições de agitação marítima provenientes de sueste, conhecida como ‘Levante’, prevendo-se ventos de 56 quilómetros por hora e ondulação forte, alertou esta segunda-feira a Autoridade Marítima Nacional (AMN). [...] Segundo a AMN, o pico do ‘Levante’ está previsto, para a madrugada de quinta-feira, “em que se preveem ventos que poderão atingir cerca de 56 quilómetros por hora e ondulação com altura significativa de cerca de dois metros junto à costa, e 2,5 metros ao largo”» («Alerta para ondas de dois metros e vento forte na costa algarvia», Rádio Renascença, 24.09.2018, 22h41).

      Para quê a maiúscula inicial? Os nomes dos ventos grafam-se com minúscula: áfrico, alísio, aquilão, austro, harmatão, suão, simum, siroco, subsolano, tramontana... Mas os dicionários também erram. Assim, porque grafa o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora aquilão com maiúscula? Dicionário que não regista, por exemplo, adalor, camacheiro, camsim, formigueiro, garroa, mata-vacas, palmelão, solano, surim, etc. Na TSF: «A costa algarvia vai ser afetada, nos próximos dias, por vento quente de sudeste, conhecido por “levante”, prevendo-se um aumento da agitação marítima, com ondas a atingirem mais de 1,5 metros de altura, alertou esta segunda-feira a autoridade marítima» («Vento levante afeta costa algarvia esta semana. Autoridade marítima pede cuidado», 24.09.2018, 23h46). Mais: em rigor, e tanto quanto sei, é ao vento que determina a agitação marítima que se dá o nome de levante, e não à própria agitação marítima.

 

[Texto 9987]

Helder Guégués às 08:19 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,