13
Out 18

Léxico: «vulgata»

E o sentido figurado?

 

      «Voltamos às repetições: o Orçamento não é português, é estrangeiro, subordinado aos interesses dos nossos credores e às políticas que eles impõem, que não são “portuguesas” num aspecto fundamental — é que não servem o interesse nacional, nem as necessidades de desenvolvimento do país, mas apenas a submissão às políticas alemãs e à vulgata política da troika disfarçada de inevitabilidade económica» («O Orçamento da burocracia de Bruxelas», José Pacheco Pereira, Público, 13.10.2018, p. 60).

      Mais uma vez, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, lá te esqueceste do sentido figurado de vulgata. Dicionários fora dos dicionários.

 

[Texto 10 103]

Helder Guégués às 22:09 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «ortopodológico»

Ai, ai, os comprimidos

 

      «“O pé é que capta informação e a dá ao organismo: como é que estou a fazer força, como é que estou apoiado, como é o meu equilíbrio, como é que estou a executar o movimento. Então, a partir daí produzo o movimento”, explica ao Público Miguel Oliveira, podologista especializado na área da podoposturologia, que avalia “as implicações que o pé possa ter no resto do organismo”. [...] “Se pensarmos no atleta de futebol, ele tem de colocar qualquer tratamento ortopodológico dentro de uma bota» («Está a crescer uma “ciência autónoma” que avalia os pés na sua plenitude», Diogo Magalhães, Público, 13.10.2018, p. 56).

      Já vi, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, que registas podoposturologia e ortopodologia, mas não (não tens tomado os comprimidos para a amnésia, ai, ai) ortopodológico.

 

[Texto 10 102]

Helder Guégués às 20:08 | comentar | ver comentários (2) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «ala»

Mais ou menos

 

     «Foi há um quarto de século que a Ala dos Namorados deu a ouvir as suas primeiras canções. Há bem menos do que a ala militar que lhe deu nome, conhecida pela bravura com que combateu na Batalha de Aljubarrota, há 633 anos. Mas se esta última era composta por 200 lanceiros e 100 besteiros, todos jovens (daí o nome), a Ala musical nossa contemporânea teve por fundadores Manuel Paulo, João Gil e João Monge, aos quais se juntaria depois Nuno Guerreiro, como vocalista» («Ala dos Namorados celebra 25 anos de uma portugalidade pop», Nuno Pacheco, Público, 13.10.2018, p. 38).

      Não sei onde foi Nuno Pacheco buscar aqueles dados (e, como nasceu em 1955, não estava lá), mas na obra As Vitórias Impossíveis na História de Portugal, de Alexandre Borges (Alfragide: Casa das Letras, 2014), leio isto: «No flanco esquerdo, a Ala dos Namorados, assim chamada por ser formada quase integralmente por jovens soldados, comandada por Mem Rodrigues de Vasconcelos e pelo irmão Rui Mendes, constituída por 400 besteiros, 200 lanceiros e 650 peões» (p. 32). Talvez outros autores avancem com outros números. Só é pena os dicionários de hoje em dia dizerem menos sobre ala do que Bluteau há quase três séculos.

 

[Texto 10 101]

Helder Guégués às 19:46 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar

Léxico: «hispanidade»

Emenda-te

 

      «Nas celebrações de ontem, em Madrid, do Dia da Hispanidade — o seu primeiro desde que assumiu o cargo de presidente do executivo —, o dirigente socialista foi assobiado e insultado por milhares de pessoas que se juntaram para assistir ao desfile militar. E entre as vaias e as provocações, escutaram-se pedidos de convocação de novas eleições» («Sánchez vaiado e insultado no desfile do Dia da Hispanidade», António Saraiva Lima, Público, 13.10.2018, p. 28).

      Só nos bilingues, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora? Não pode ser. Emenda-te.

 

[Texto 10 100]

Helder Guégués às 19:03 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «bioeconomia»

Prepara-te

 

      «A Comissão Europeia vai lançar um novo instrumento de cem milhões de euros, na forma de subsídios e empréstimos, para apoiar os produtores e atrair os investidores para o financiamento de projectos da chamada “bioeconomia circular”. É uma das 14 medidas da nova estratégia da Comissão Europeia para uma economia sustentável e responsável na utilização dos recursos naturais. Na apresentação, o comissário europeu para a Inovação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, lembrou a importância que a bioeconomia tem a nível europeu, com um volume de negócios à volta de dois biliões de euros» («Foto da semana», Público, 13.10.2018, p. 27).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, prepara-te tu também para o desafio da bioeconomia.

 

[Texto 10 099]

Helder Guégués às 18:57 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Como escrevem alguns professores

«Estarei ao vosso dispor»

 

      No verso da capa do caderno, uma folha colada pela professora de Língua Portuguesa: «Chamo-me *** sou licenciada em professores do Ensino Básico variante Português/Francês que conclui na Escola Superior de Educação de Beja.» Poupo-vos ao resto. Não nos enganaram no portal da escola: «Highly qualified and experienced staff.»

  

[Texto 10 098]

Helder Guégués às 18:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,

Léxico: «panamiano»

Acontece, não é?

 

      «Uma jovem portuguesa morreu na sexta-feira no Panamá ao cair de uma varanda de um 27.º andar quando tentava tirar uma “selfie”, noticiou hoje a imprensa local citando a polícia. [...] A imprensa panamiana publica um vídeo em que se vê o acidente, filmado por operários que trabalhavam num edifício próximo e tentaram avisar a jovem do perigo ao verem-na sentar-se no corrimão da varanda, segundo o jornal panamiano La Critica» («Portuguesa morre no Panamá ao cair de 27.º andar quando tirava uma “selfie”», Diário de Notícias, 13.10.2018, 13h42).

      Não é por acaso que se diz que é a geração mais estúpida de sempre. Ah, não? Estão aqui a dizer-me que é a geração mais bem preparada de sempre. Confusão minha. Vamos ao que interessa: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora esqueceu-se de registar panamiano. Acontece aos melhores. Acolhe apenas panamense, que eu nunca usaria.

 

[Texto 10 097]

Helder Guégués às 14:26 | comentar | ver comentários (3) | favorito | partilhar
Etiquetas: ,
13
Out 18

Léxico: «rede divisional»

Não custa nada

 

      «Os incêndios do ano passado foram particularmente devastadores para as matas litorais. Em oito delas, mais de metade da área florestal foi consumida pelas chamas. Por isso, tendo em conta os custos de preparação de terreno e plantação, gestão de combustíveis, manutenção das redes viárias e divisionais (faixas sem vegetação), é em 2018 e 2019 que se concentra a maior necessidade de investimento — até porque depois disso o ICNF não prevê custos na manutenção da rede viária florestal nem da rede de aceiros e arrifes» («Peritos propõem criação de lagos nas matas nacionais para conter o fogo», Margarida David Cardoso, Público, 12.10.2018, p. 14).

      Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, e se ajudássemos os falantes? «A rede divisional», leio aqui, «é composta por um conjunto de faixas rectilíneas, sem coberto arbóreo e onde se realiza periodicamente a limpeza da vegetação espontânea, com funções essencialmente de compartimentação e complementarmente de acesso, divididas em aceiros e arrifes.»

 

[Texto 10 096]

Helder Guégués às 09:39 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,