30
Nov 18

Bacu

Muito bem

 

      «No Estádio Olímpico de Bacu, levou quatro minutos a marcar o primeiro e fez mais cinco nos restantes 86, construindo aquela que foi a maior goleada da época» («O Sporting de Keizer está a crescer depressa e bem», Marco Vaza, Público, 30.11.2018, p. 44).            

      É muito para espantar — e aplaudir, pois claro — que tenham decidido escrever assim este topónimo. Se estendessem a tudo o resto esta coerência, seria excelente.

 

            [Texto 10 383]

Helder Guégués às 19:35 | comentar | favorito

Léxico: «metassuperfície/metamaterial»

Mais na clandestinidade

 

      «Por causa desta bolsa, o italiano Antonio Ambrosio vem da Universidade de Harvard (nos EUA) para o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), em Braga. O cientista terá 2,75 milhões de euros para criar uma metassuperfície polimérica com uma combinação única de qualidades. Possíveis usos vão desde a imagiologia médica, segurança até a experiências de realidade aumentada» («Três cientistas em Portugal recebem 6,35 milhões de euros em bolsas europeias», Teresa Sofia Serafim, Público, 30.11.2018, p. 27).

      E, se falamos de metassuperfície, temos também de falar de metamaterial — mais duas clandestinas, pois usam-se no dia-a-dia e não se encontram em nenhum dicionário.

 

[Texto 10 382]

Helder Guégués às 11:02 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Nov 18

Léxico: «modularidade»

Vivem na clandestinidade

 

      Um dos objectivos do World Wide Web Consortium (W3C) é a evolutividade: «Ambicionar uma tecnologia cada vez melhor que possibilite obter uma Web também melhor, sem desprezar aquela que já funciona. Os princípios que regem a implementação deste objetivo são a simplicidade, modularidade, extensibilidade e compatibilidade» («World Wide Web Consortium (W3C)», in Infopédia). Mais facilmente ouviremos o termo aplicado às características da bagageira/mala/porta-bagagens de um automóvel, mas ei-la aí está — ou não está. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ainda não pôs os butes. Tal como evolutividade. Usam-nas, mas acham que não têm dignidade para figurar no dicionário. Exploradores de palavras! Para acabar: continuo a ver e a ouvir o termo «portão» para designar a porta da bagageira, e os dicionários nada fazem.

                    

[Texto 10 381]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
29
Nov 18

Quarteirões, ensanches e outras coisas

Mais miudezas

 

      E por falar em arquitectos e estudantes de Arquitectura: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não acolhe um termo de origem espanhola que se usa, que é ensanche. Contudo, como podemos (podemos?) usar a locução plano de expansão, esqueçamos. (Mas regista ensancha, que, num dos sentidos figurados, significa «ampliação».) Uma desta área do urbanismo que naquele dicionário está pobremente definida: quarteirão. Está assim definida (sem variar há décadas): «grupo de casas que dá para quatro ruas ou travessas». E se estiver delimitada por três ruas, já não é um quarteirão? (Já agora diga-se que «arruamento» também não está bem definido.) Decerto, a etimologia provável diz que não, mas a realidade desmente-o, além da designação que tem noutras línguas. Assim, José Ressano Garcia Lamas, por exemplo, fala em três ou mais vias (in Morfologia Urbana da Cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, s/d, p. 88).

 

[Texto 10 380]

Helder Guégués às 18:27 | comentar | ver comentários (2) | favorito

Léxico: «edificado»

Vejo-a por aí há tanto tempo

 

      «“Não se tem registado nenhuma atividade acima do normal, nesta altura do ano, embora nas últimas horas, em Lisboa, tenha aumentado o número de inundações na via pública e no edificado, havendo até ao momento 14 registos de inundações”, adiantou, às 15:45, Rui Laranjeira [oficial de operações e emergências da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)], em declarações à agência Lusa» («Proteção Civil já registou 14 inundações só em Lisboa», Rádio Renascença, 29.11.2018, 10h42).

      Desconhecida dos lexicógrafos, está bem, mas muito bem conhecida dos arquitectos e estudantes de Arquitectura.

 

[Texto 10 379]

Helder Guégués às 17:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Morgadio», de novo

Só não melhoramos se não quisermos

       

      Ainda recentemente aqui falámos do conceito de morgado e de como os dicionários deviam melhorar a sua definição. Mais elementos trazidos hoje pela imprensa: «Maria de Lurdes Rosa, professora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, foi distinguida com uma bolsa de 1,6 milhões de euros para estudar a história dos morgadios em Portugal e Europa do sul. [...] Entre os séculos XIV e XVII terão sido fundados cerca de sete mil morgados em Portugal continental e nas colónias. O morgado ou morgadio era uma forma institucional e jurídica de base territorial da nobreza. Não podia ser objeto de partilha e era transmitido ao primogénito varão ou, na ausência de um filho, à filha mais velha. Isso permitia perpetuar a linhagem e manter o território íntegro. Só com autorização do rei era possível vender ou trocar parte desses bens, ou extinguir o morgadio» («Nunca a História de Portugal recebeu tanto dinheiro da Europa», Rádio Renascença, 29.11.2018, 11h00).

 

[Texto 10 378]

Helder Guégués às 14:58 | comentar | favorito

Léxico: «geomecânico»

Ainda é geologia

 

      «A reconstrução da escada e montagem de uma vedação, em 2014, permitiu reabrir o percurso, apesar de “conhecido o risco real” que incide sobre o acesso, “num local de elevada dinâmica ambiental e a natureza geológica da vertente apresenta débeis condições geotécnicas e geomecânicas das suas rochas”» («Risco de queda de arriba em Sintra. Acesso à Praia Grande está interditado», TSF, 29.11.2018, 10h42).

      Ora, também não conheces este adjectivo, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora...

 

[Texto 10 377]

Helder Guégués às 14:32 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «estratificado»

Agora é geologia

 

      «Perante o alerta do antigo diretor do Museu Nacional de História Natural (Lisboa), o serviço municipal de Proteção Civil verificou não haver razões “para cortar o acesso”, mas foi anunciada uma “avaliação geológica do estratificado com caráter de urgência”» («Risco de queda de arriba em Sintra. Acesso à Praia Grande está interditado», TSF, 29.11.2018, 10h42).

      Não o vejo no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora; melhor, não o vejo em nenhum dicionário.

 

[Texto 10 376]

Helder Guégués às 14:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
29
Nov 18

Léxico: «triplo-duplo/ressalto»

Para esquecer o futebol

 

      «Os Dallas Mavericks foram ao terreno do grande rival, os Houston Rockets, vencer por 128-108, esta quinta-feira. A grande exibição de James Harden de nada valeu para os texanos evitarem pesada derrota. O “Barba” conseguiu um triplo-duplo de 25 pontos, 11 ressaltos e 17 assistências e foi bem escudado por Clint Capela (18 pontos), James Ennis (18) e Eric Gordon (17). Porém, o resto da equipa esteve mal» («Mavericks neutralizam triplo-duplo de Harden», Rádio Renascença, 29.11.2018, 9h35).

      Sim, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, são termos basquetebolísticos — que, como podes ver, aparecem na imprensa; mas não só, e em traduções. E mesmo assistência, nesta acepção, só a tens desde o início de Abril deste ano, quando eu ta sugeri, não te lembras?

 

[Texto 10 375]

Helder Guégués às 12:12 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,