11
Nov 18

Léxico: «despeja-bolsos»

Repete-se a incongruência

 

      Há-os à venda na IKEA, no El Corte Inglés, no OLX, em muitas lojas. Já os vi, de diversas formas e materiais, na Feira da Ladra. Tenho um de pele à entrada de casa para pôr as chaves de casa e o comando do carro; por vezes, poucas, uma ou outra moeda. Sim, um despeja-bolsos. Estará também, como devia, nos nossos dicionários? Ora, como tantas vezes sucede, está e não está. No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, não o encontramos; num bilingue, contudo, está. Tidies.

 

[Texto 10 272]

Helder Guégués às 21:40 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

A mentira e o AOLP90

A brincar, a brincar

 

      «Eu fico sempre convencido com as pessoas perentórias. Pelo menos ficava, quando a palavra se escrevia “peremptória” e era mais perentória por isso. Hoje, as ganas, mesmo de uma mulher do Alto Minho, deixam-me mais cético (não tão cético como antigamente, quando se escrevia “céptico”, mas ainda assim cético). Vai daí, recorri ao meu método para me curar de um espanto: de que estamos a falar quando estamos a falar? Isto é, de que password falava a deputada Emília Cerqueira?» («O caso da password promíscua», Ferreira Fernandes, Diário de Notícias, 11.11.2018, 6h19).

      Isso é que era, o Diário de Notícias aparecer na edição de 1 de Janeiro de 2019 totalmente limpo do pesadelo do Acordo Ortográfico de 1990. Mas isso é mais notícia para o 1 de Abril...

 

[Texto 10 271]

Helder Guégués às 15:31 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «raia-focinho-de-vaca»

Não sabíamos

 

      «Neste novo episódio revelamos curiosidades sobre a raia. Por exemplo, sabias que há raias que se chamam raia-focinho-de-vaca? E sabes por que se chamam assim? Esta resposta e outras curiosidades são desvendadas no novo vídeo em tag.jn.pt» («Um Minuto debaixo de Água de volta», Notícias Magazine, 11.11.2018, p. 33).

      Eu... eu... ahn... Não, não sabia, e o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora também não. Sei agora que tem o nome científico de Rhinoptera bonasus. Raia-focinho-de-vaca (cownose ray, para a legião de anglófonos que nos segue).

 

[Texto 10 270]

Helder Guégués às 13:13 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «balé»

É a normalização

 

      «Até agora, existiam apenas os tradicionais modelos em cor-de-rosa ou bege, que obrigavam os bailarinos com outros tons de pele a aplicar maquilhagem nas sapatilhas de modo a manter a uniformização dos pés à cabeça, que faz parte da prática do balé» («Novas pontas dão cor ao balé», Filomena Abreu, Notícias Magazine, 11.11.2018, p. 8).

      Chegou, finalmente e felizmente, o momento em que se compreende a vantagem de escrever assim. Agora é só continuar e alargar a muitos outros estrangeirismos.

 

[Texto 10 269]

Helder Guégués às 13:11 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
11
Nov 18

Léxico: «micoterapia»

Entendam-se

 

      Está a decorrer, em Mogadouro, o XX Encontro Micológico Transmontano, juntamente com a X Semana Gastronómica de Micologia. Ontem, foi tema de debate a micoterapia, tendo a hematologista Adriana Teixeira defendido que, por serem imunorreguladores, os cogumelos devem ser ingeridos na fase de tratamento do cancro para ajudar a diminuir os efeitos secundários da quimioterapia ou radioterapia e estimular o sistema imunológico, que fica mais frágil com esses tratamentos. Ora, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora define assim micoterapia: «MEDICINA tratamento pela levedura de cerveja, empregado na furunculose». É bem verdade que a levedura pertence ao grupo dos fungos unicelulares, mas a definição tem, forçosamente, de ser alargada, ou teremos equívocos à volta disto.

 

[Texto 10 268]

Helder Guégués às 10:46 | comentar | ver comentários (2) | favorito