29
Nov 18

Quarteirões, ensanches e outras coisas

Mais miudezas

 

      E por falar em arquitectos e estudantes de Arquitectura: o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não acolhe um termo de origem espanhola que se usa, que é ensanche. Contudo, como podemos (podemos?) usar a locução plano de expansão, esqueçamos. (Mas regista ensancha, que, num dos sentidos figurados, significa «ampliação».) Uma desta área do urbanismo que naquele dicionário está pobremente definida: quarteirão. Está assim definida (sem variar há décadas): «grupo de casas que dá para quatro ruas ou travessas». E se estiver delimitada por três ruas, já não é um quarteirão? (Já agora diga-se que «arruamento» também não está bem definido.) Decerto, a etimologia provável diz que não, mas a realidade desmente-o, além da designação que tem noutras línguas. Assim, José Ressano Garcia Lamas, por exemplo, fala em três ou mais vias (in Morfologia Urbana da Cidade. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian/Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, s/d, p. 88).

 

[Texto 10 380]

Helder Guégués às 18:27 | comentar | ver comentários (2) | favorito

Léxico: «edificado»

Vejo-a por aí há tanto tempo

 

      «“Não se tem registado nenhuma atividade acima do normal, nesta altura do ano, embora nas últimas horas, em Lisboa, tenha aumentado o número de inundações na via pública e no edificado, havendo até ao momento 14 registos de inundações”, adiantou, às 15:45, Rui Laranjeira [oficial de operações e emergências da Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC)], em declarações à agência Lusa» («Proteção Civil já registou 14 inundações só em Lisboa», Rádio Renascença, 29.11.2018, 10h42).

      Desconhecida dos lexicógrafos, está bem, mas muito bem conhecida dos arquitectos e estudantes de Arquitectura.

 

[Texto 10 379]

Helder Guégués às 17:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

«Morgadio», de novo

Só não melhoramos se não quisermos

       

      Ainda recentemente aqui falámos do conceito de morgado e de como os dicionários deviam melhorar a sua definição. Mais elementos trazidos hoje pela imprensa: «Maria de Lurdes Rosa, professora da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, foi distinguida com uma bolsa de 1,6 milhões de euros para estudar a história dos morgadios em Portugal e Europa do sul. [...] Entre os séculos XIV e XVII terão sido fundados cerca de sete mil morgados em Portugal continental e nas colónias. O morgado ou morgadio era uma forma institucional e jurídica de base territorial da nobreza. Não podia ser objeto de partilha e era transmitido ao primogénito varão ou, na ausência de um filho, à filha mais velha. Isso permitia perpetuar a linhagem e manter o território íntegro. Só com autorização do rei era possível vender ou trocar parte desses bens, ou extinguir o morgadio» («Nunca a História de Portugal recebeu tanto dinheiro da Europa», Rádio Renascença, 29.11.2018, 11h00).

 

[Texto 10 378]

Helder Guégués às 14:58 | comentar | favorito

Léxico: «geomecânico»

Ainda é geologia

 

      «A reconstrução da escada e montagem de uma vedação, em 2014, permitiu reabrir o percurso, apesar de “conhecido o risco real” que incide sobre o acesso, “num local de elevada dinâmica ambiental e a natureza geológica da vertente apresenta débeis condições geotécnicas e geomecânicas das suas rochas”» («Risco de queda de arriba em Sintra. Acesso à Praia Grande está interditado», TSF, 29.11.2018, 10h42).

      Ora, também não conheces este adjectivo, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora...

 

[Texto 10 377]

Helder Guégués às 14:32 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «estratificado»

Agora é geologia

 

      «Perante o alerta do antigo diretor do Museu Nacional de História Natural (Lisboa), o serviço municipal de Proteção Civil verificou não haver razões “para cortar o acesso”, mas foi anunciada uma “avaliação geológica do estratificado com caráter de urgência”» («Risco de queda de arriba em Sintra. Acesso à Praia Grande está interditado», TSF, 29.11.2018, 10h42).

      Não o vejo no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora; melhor, não o vejo em nenhum dicionário.

 

[Texto 10 376]

Helder Guégués às 14:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «triplo-duplo/ressalto»

Para esquecer o futebol

 

      «Os Dallas Mavericks foram ao terreno do grande rival, os Houston Rockets, vencer por 128-108, esta quinta-feira. A grande exibição de James Harden de nada valeu para os texanos evitarem pesada derrota. O “Barba” conseguiu um triplo-duplo de 25 pontos, 11 ressaltos e 17 assistências e foi bem escudado por Clint Capela (18 pontos), James Ennis (18) e Eric Gordon (17). Porém, o resto da equipa esteve mal» («Mavericks neutralizam triplo-duplo de Harden», Rádio Renascença, 29.11.2018, 9h35).

      Sim, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, são termos basquetebolísticos — que, como podes ver, aparecem na imprensa; mas não só, e em traduções. E mesmo assistência, nesta acepção, só a tens desde o início de Abril deste ano, quando eu ta sugeri, não te lembras?

 

[Texto 10 375]

Helder Guégués às 12:12 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Edição genética

Veio para ficar

 

      «Quem esperava saber ontem todos os pormenores da experiência que terá sido levada a cabo pelo cientista chinês He Jiankui, que reclama ter ajudado a conceber os primeiros dois bebés, duas gémeas, geneticamente editados e que nasceram este mês, só pode estar frustrado. [...] A ser verdade, será a primeira vez que embriões editados nascem no mundo. [...] Um total de 31 embriões foi abrangido no procedimento, sendo que 70% foram efectivamente editados» («Ainda poderá nascer um terceiro bebé geneticamente editado», Andrea Cunha Freitas, Público, 29.11.2018, p. 2). Será muito difícil, doravante, adoptar outro termo — manipulação génetica e edição estão indissoluvelmente ligados. Num texto da página 4 («“É o início de um caminho perigoso para a eugenia”», Teresa Firmino), lê-se isto: «Lluis Montoliu. Cientista do Centro Nacional para a Biotecnologia espanhol, usa em animais a CRISPR-Cas9, que “corta e cola” ADN». Este texto, que é uma entrevista, constitui o destaque de hoje, sob o título... «Edição genética». Nele, «edição» e o verbo «editar» surgem catorze vezes.

 

[Texto 10 374]

Helder Guégués às 11:23 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
29
Nov 18

Léxico: «auto-silo»

Falha sempre alguma coisa

 

      «Este auto-silo tem as suas principais saídas e entradas pelo lado da Avenida 25 de Junho, circulação que dá acesso aos dois pisos inferiores do edifício onde está situado o Santa Cruz Shopping» («Proteção civil municipal manda fechar auto-silo», Paulo Graça, Jornal da Madeira, 29.11.2018, p. 15).

      Foi em Outubro passado que eu sugeri a inclusão da palavra silo, nesta acepção do artigo, no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Não sei se foi na mesma altura que também dicionarizaram o sinónimo silo-auto. Fosse antes ou depois, esqueceram-se deste sinónimo — auto-silo. Não é curioso, auto-silo/silo-auto?

 

[Texto 10 373]

Helder Guégués às 09:34 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,