01
Dez 18

Léxico: «tafonomista»

Andas próximo

 

      «“O uso efectivo de ferramentas de pedra para corte, afiadas como facas, sugere que os nossos antepassados não se limitavam a apanhar carcaças de animais. Não está claro se, nesta altura, eles caçavam ou não, mas as provas mostram claramente que competiam com sucesso com outros carnívoros por carne e gostavam de ser os primeiros a ter acesso às carcaças de animais”, frisa, em comunicado, a tafonomista Isabel Cáceres, do Instituto Catalão de Paleoecologia Humana e Evolução Social, que participou na investigação» («Ferramentas de pedra indicam que os nossos antepassados chegaram mais cedo ao Norte de África», Filipa Almeida Mendes, Público, 1.12.2018, p. 29).

      Não sejas trapalhão, Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, eu disse «tafonomista», não «taxonomista». Seja como for, já registas «tafonomia» e «tafonómico».

 

            [Texto 10 385]

Helder Guégués às 17:36 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
01
Dez 18

Léxico: «pisoteio»

Segunda chamada

 

      «A EDIA, que continua a financiar o trabalho de monitorização dos núcleos de Narcissus cavanillesii executado pela equipa de biólogos do Jardim Botânico, confirma que “a população da Ponte da Ajuda continua a ser a maior população da Península Ibérica”. Mas chama a atenção para o facto de a sua localização “permitir que as pessoas tomem contacto com a espécie, deixando-a vulnerável à recolha ilegal e eventualmente pisoteio”» («Num reduto no Guadiana resiste a única comunidade na Península Ibérica de uns pequenos narcisos», Carlos Dias, Público, 1.12.2018, p. 19).    

      É a segunda vez que esta derivada regressiva passa aqui pelo Linguagista, e o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, ao contrário de outros dicionários, ainda não a regista.

 

            [Texto 10 384] 

Helder Guégués às 17:24 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,