13
Dez 18

Léxico: «praxista/praxante»

Não é o que segue as praxes

 

   «Chefe do Estado-Maior General quer “rigorosas sanções disciplinares” para praxistas», lê-se ainda no Diário de Notícias. Curiosamente, e isto não acontece pela primeira vez, quando clicamos, abre-se o artigo, assinado por Manuel Carlos Freire, e o título difere um pouco: «Chefe do Estado-Maior General quer “rigorosas sanções disciplinares” para autores de praxes». O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não apenas não acolhe especificamente esta acepção de praxista, como se esqueceu de praxante.

 

            [Texto 10 455]

Helder Guégués às 21:27 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «infra/rata»

Pois é pena

 

      «Apesar de proibida, o comando na altura tolerava-a e sempre fez vista grossa a este rito iniciático violento, humilhante e prepotente que não passa de uma forma de bullying efetuado pelos mais antigos sobre os mais novos, os alunos do primeiro ano [da Academia Militar] — designados por infras — que, por definição, são um monte de merda que por aberração da natureza se transformou em Homo erectus, que fica 40 pontos abaixo de cão e 20 acima de polícia, que a partir do momento que entra na porta de armas perde a sua identidade e é-lhe atribuído uma alcunha, designada por nome informático, e um grito de guerra pelo qual passará obrigatoriamente a responder» («“Tínhamos de mergulhar na fossa onde eram colocados os dejetos dos cavalos”», Nuno Pereira da Silva, coronel de infantaria na reserva, Diário de Notícias, 13.12.2018, 17h01).

      São os infras na Academia Militar, os ratas no Colégio Militar. Nos Pupilos do Exército não sei se os caloiros têm nome na gíria; sei apenas que qualquer aluno é pilão. Enfim, tudo isto está fora dos dicionários, e é pena.

 

            [Texto 10 454]

Helder Guégués às 21:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «gametogénese»

Mentiroso

 

      «A Ciência está a um passo de fazer bebés só com mulheres», titula o zap.aeiou.pt. Uma ciência maiúscula, máscula, subversiva. Enfim, as mulheres vão deixar de precisar de nós. A técnica, diz a notícia, é conhecida como gametogénese in vitro e foi concebida por uma equipa japonesa coordenada pelo biólogo Mitinori Saitou, do Departamento de Anatomia e Biologia Celular da Escola de Medicina da Universidade de Quioto. Até aqui, pelo menos no Japão, tudo muito bem. Em Portugal, o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora diz-nos que a gametogénese é o «capítulo da biologia que trata da génese dos gâmetas». Grande mentiroso.

 

            [Texto 10 453]

Helder Guégués às 20:17 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «acupuncturista»

Manias

 

      «“Qual é o sítio mais estranho onde se espetam agulhas?” Liliana Grande, terapeuta de acunpuntura [sic] e reiki, responde a esta e outras perguntas de António Raminhos no próximo episódio d’Os Mal-amados» («Raminhos faz as perguntas todas à acupunturista Liliana Grande», V Digital, 13.12.2018, 18h00).

      O Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora só deixa que se vá a um acupunctor ou uma acupunctora. Manias. No VOLP da Academia Brasileira de Letras: ✓.

 

            [Texto 10 452]

Helder Guégués às 19:45 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «geminídea»

Mas anda por aí

 

      «Durante esta semana, vai poder assistir a uma chuva de estrelas — ou melhor, de meteoros das Gemínidas. Em Portugal, o fenómeno vai ser visível de 14 a 17 de Dezembro, apesar de já ter começado no dia 4 deste mês, mas com menos intensidade. [...] Em Dezembro, todos os anos, a Terra cruza a órbita do asteróide Faetonte e são os seus detritos que dão origem ao enxame das Gemínidas, que vai buscar o seu nome às estrelas cadentes que parecem sair da constelação dos Gémeos. Para localizar esta constelação, e a chuva de estrelas, basta procurar as suas estrelas mais brilhantes, Castor e Pólux» («Dezembro é mês de chuva de estrelas», Sofia Neves, Público, 11.12.2018, 18h38).

      O que eu sei é que o VOLP da Academia Brasileira de Letras regista o substantivo geminídea.

 

            [Texto 10 451]

Helder Guégués às 19:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «picar o ponto»

Não vão saber

 

      «‘Picar o ponto’ com impressões digitais. Cidadãos querem controlar presenças dos deputados» (Joana Carvalho Reis, TSF, 13.12.2018, 9h35). É curioso, porque «ponto» é, etimologicamente, «picada». Este texto, porém, não é sobre etimologia. Bem pode o falante, novo ou adventício, correr de picar para ponto e desta para aquele, não vai encontrar a expressão no dicionário da Porto Editora.

 

            [Texto 10 450]

Helder Guégués às 19:27 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «maciço»

Um pouco nebuloso

 

      «O acesso ao maciço central da Serra da Estrela está encerrado esta quinta-feira, devido à queda de neve e às condições meteorológicas adversas» («Neve fecha acesso ao maciço central da Serra da Estrela», Rádio Renascença, 13.12.2018, 10h12).

      Temos de convir que a definição deste sentido do vocábulo maciço no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora deixa muito a desejar. Falta-lhe clareza. Noutros dicionários, não deixa de se falar em montanhas, para o falante saber logo a que se refere.

 

            [Texto 10 449]

Helder Guégués às 16:52 | comentar | ver comentários (1) | favorito
13
Dez 18

Léxico: «rambutão»

Para começar

 

      A pergunta de hoje do Sabichão, na Antena 1, era se os jovens ouvintes sabiam o que é o rambutão. O menino Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não concorreu — porque não sabia. O rambutão (Nephelium lappaceum) é um fruto tropical exótico, originário da Malásia, da família da líchia.

 

            [Texto 10 448]

Helder Guégués às 08:06 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,