02
Jan 19

Léxico: «camandro»

Gíria, pois

 

      «Expliquei-lhe que ele gostava do país e eu o amava: caso houvesse uma broncalina do camandro, ele punha-se ao fresco e eu, se preciso fosse, ficava e morria» («Europa não. Portugal, nunca!», José Cutileiro, TSF, 2.01.2019, 16h01).

      Cum camandro, então o dicionário da Porto Editora não regista camandro?! Não, «broncalina» não me diz nada, será invenção do autor dos Bilhetes de Colares.

 

[Texto 10 527]

Helder Guégués às 19:29 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «Quadrântidas»

Então?

 

      «O início do ano, para os amantes de astronomia no hemisfério norte, é sinónimo de “chuva de estrelas”. A chuva de meteoros das Quadrântidas ocorre de 28 de dezembro a 12 de janeiro, mas, este ano, o pico é já na sexta-feira, dia 4 de janeiro, pelas 02h20» («Superlua, eclipses e “chuvas de estrelas”. O que nos reservam os céus de 2019», Rui Barros, Rádio Renascença, 2.01.2019, 15h00).

      Se queria que estivesse nos dicionários? Queria. O dicionário da Porto Editora não acolhe, por exemplo, Geminídeas, que também é uma chuva de estrelas-cadentes? Então? Basta haver alguma similitude entre o que está e o que não está nos dicionários para justificar que o que não está seja dicionarizado.

 

[Texto 10 526]

Helder Guégués às 16:34 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Os «contatos» do OJE

Para começar bem o ano

 

      O Jornal Económico também tem — como muitas publicações que seguem as regras do Acordo Ortográfico de 1990 — «contatos». Não há uma alminha, da direcção à redacção, que dê conta deste erro tão lamentável. Ó OJE, é hoje que te emendas? Vá lá, começa bem o ano.

 

[Texto 10 525]

Helder Guégués às 15:48 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «adufa»

Na Madeira é diferente

 

      «Apesar da intensidade da chuva que fez transbordar alguns canais e entupir adufas e levadas, não foram comunicados grandes estragos» («Chuva fez aumentar caudais das ribeiras», Jornal da Madeira, 2.01.2019, p. 4).

      Neste caso, até podiam ser as adufas das levadas, mas, mais provavelmente, trata-se das sarjetas que há pelas ruas — em cujo caso o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora não regista a acepção.

 

[Texto 10 524]

Helder Guégués às 13:46 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «plano duro»

É duro

 

      «Além disso, queixava-se de uma ferida extensa na cabeça. Foi assistida no local com recurso ao plano duro e colar cervical» («Homem caiu de um muro onde dormia na Praça CR7», Paulo Graça e Carla Ribeiro, Jornal da Madeira, 2.01.2019, p. 11).

      Nos nossos dicionários não há planos duros, só nos quartéis dos bombeiros.

 

[Texto 10 523]

Helder Guégués às 13:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
02
Jan 19

Léxico: «ultradireita»

Graças a Jair

 

      Só a encontramos numa chamada de primeira página da edição de hoje do Público, e não está no dicionário da Porto Editora: «Bolsonaro. A ultradireita chegou ao Planalto». E quem fala em ultradireita também fala em ultra... ultra...? Pois, também.

 

[Texto 10 522]

Helder Guégués às 11:51 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,