07
Mai 19

Léxico: «tricobótrio»

Para terminar

 

      «Finas pilosidades denominadas tricobótrios reagem às condições eólicas e eléctricas e actuam de acordo com elas» («Aranhas voadoras», Daisy Chung et al., National Geographic, Maio de 2019). Como saberão, o elemento trico- exprime a ideia de cabelo ou pêlo, e, de facto, os tricobótrios são cerdas sensoriais. Os nossos dicionários ignoram a palavra.

 

[Texto 11 325]

Helder Guégués às 23:27 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «chorão-do-mar» e mais umas quantas

Há aqui mais trabalho

 

      Ao fim do dia, Eduarda Maio, no programa Ponto de Partida, da Antena 1, falava com uma investigadora sobre macroalgas produzidas em Portugal. Uma das que foram referidas foi o chorão-do-mar (Codium tomentosum), uma alga verde de consistência esponjosa que pode medir até cerca de 30 cm, muito utilizada na alimentação humana na Coreia, Polinésia, Japão e Indonésia. De todas as mais referidas, o dicionário apenas regista alface-do-mar, erva-patinha e musgo-irlandês. Ficaram no limbo pelo menos mais três macroalgas produzidas na nossa maricultura: botelho-comprido (Palmaria palmata), cabelo-de-velha, também conhecida por carriola (Gracilaria gracilis), e chorão-do-mar (Codium tomentosum). Claro, faltam muitas outras: o dicionário da Porto Editora também não regista, por exemplo, maricultor, agarófita, etc., isto para não sair deste campo.

 

[Texto 11 324]

Helder Guégués às 22:35 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «edificável»

Qui peut être édifié

 

      «É por isso que os serviços de camarários entendem que o presente projecto é “uma mais-valia urbana face ao anterior licenciado, reduzindo a área edificável, desmaterializando e desconstruindo a imagem adensada de quarteirão”» («Prédio de 16 pisos no quarteirão da Portugália para tratar “ferida urbana”», Cristiana Faria Moreira, Público, 7.05.2019, p. 21).

      Pois na Infopédia só o encontramos em três bilingues (nem sequer em todos os bilingues...). Não é defeito, é feitio.

 

[Texto 11 323]

Helder Guégués às 21:53 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «megaempreendimento»

Registe-se

 

      «Inserido na intersecção da Avenida Almirante Reis, Rua Marques da Silva, Rua António Pedro e Rua Pascoal de Melo, está projectado e aprovado pela câmara de Lisboa um megaempreendimento que será composto por cinco blocos. Além dos quatro prédios novos, o antigo edifício da Fábrica da Cerveja e o famoso restaurante vão ser reabilitados» («Prédio de 16 pisos no quarteirão da Portugália para tratar “ferida urbana”», Cristiana Faria Moreira, Público, 7.05.2019, p. 21).

 

[Texto 11 322]

Helder Guégués às 21:51 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «desmarxização»

Desmoralização

 

      «Ainda antes da “desmarxização” — “Eu tomei duche. Saiu tudo.” —, voltou a Portugal após o 25 de Abril e foi no âmbito da secção cultural do partido que criou o Terra sem Amos, depois chamado Terra a Terra, que era um grupo de música popular, que cantava temas de vários cantos do país» («Lembra-se dos Onda Choc? História do jovem marxista-leninista que criou o fenómeno», Maria João Caetano, Diário de Notícias, 6.05.2019, 7h48).

      Há palavras assim: só aparecem em jornais, livros, teses, paredes, conversas, em todos os sítios menos nos dicionários.

 

[Texto 11 321]

Helder Guégués às 13:59 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «ir dentro»

Essere arrestato

 

      «Entre outras atividades, fez parte da associação de estudantes do Técnico e lançou um boletim chamado Binómio, que se tornou famoso no meio académico. “Eu pintei o caneco. Só não fui dentro porque o meu nome é esquisito. Houve um gajo que me denunciou mas no relatório o pide escreveu Eduardo em vez de Heduíno”» («Lembra-se dos Onda Choc? História do jovem marxista-leninista que criou o fenómeno», Maria João Caetano, Diário de Notícias, 6.05.2019, 7h48).

      Só um marciano (ou um coreano que queira aprender português) desconhecedor dos meandros destas coisas é que não sabe que ir dentro só se encontra no Dicionário de Português-Italiano da Porto Editora.

 

[Texto 11 320]

Helder Guégués às 13:54 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «controleiro»

Outras m’avergonho

 

      «Estava [Heduíno Gomes] a ler jornais, sentado à mesa do café Pão de Açúcar, perto da Fonte Luminosa, com o seu controleiro, quando começou a desconfiar do comunismo soviético: “Havia uma notícia sobre uma passagem de modelos na Rússia. A nossa ideia de comunismo não se coadunava com aquilo”» («Lembra-se dos Onda Choc? História do jovem marxista-leninista que criou o fenómeno», Maria João Caetano, Diário de Notícias, 6.05.2019, 7h48).

      Já em Janeiro de 2014 o escrevi aqui: «Parece-me que não está em nenhum dicionário. M’espanto às vezes, outras m’avergonho. Talvez seja melhor pedirem a definição a Pacheco Pereira.» A diferença é que actualmente está em mais dicionários, mas não no da Porto Editora.

 

[Texto 11 319]

Helder Guégués às 12:22 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
07
Mai 19

Léxico: «espinocelular»

Compre dois

 

      «Osvaldo Correia [presidente da Associação Portuguesa do Cancro Cutâneo (APCC)] recorda que a APCC tem defendido há vários anos o encerramento dos solários, junto da tutela e da Direção Geral da Saúde, e tem contribuído para os estudos que mostram, [sic] que “há uma associação entre a exposição prévia, mesmo que esporádica, e o risco aumentado dos cancros de pele, quer não melanoma, como os carcinomas basocelular e espinocelular, quer melanoma, alguns em idades mais jovens a surgir”» («Encerrar solários para combater o cancro da pele. Pode Portugal ser o próximo?», TSF, 7.05.2019, 8h47).

      Na Infopédia, temos basocelular num dicionário e espinocelular noutro. Quem tiver apenas o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, não vai saber o que significa espinocelular.

 

[Texto 11 318]

Helder Guégués às 10:37 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,