04
Jul 19

Léxico: «valentiniano | valentianismo»

Como te faltam estes

 

      «No esquema valentiniano, que responde de maneira mais perfeita a todos os outros esquemas, existem quatro escalões na hierarquia das realidades: 1) O Pleroma Superior; 2) A Sofia inferior (Ogdóada, Achamot), Mãe, que deseja a redenção do inferior para o superior; 3) O “Lugar do Meio”, entre o superior e o inferior, residência do filho-demiurgo da Sofia (mãe) superior; 4) O universo material nomeado, por vezes, com o nome hebraico Hamakom (que significa “Lugar”), correspondente ao Deus do AT» (Ler a Bíblia no Século XXI, Joaquim Carreira das Neves. Queluz de Baixo: Editorial Presença, 2017, p. 101).

 

 

[Texto 11 679]

Helder Guégués às 16:18 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

O AO90 e o PSD

Não é fácil

 

      Até eu tinha como certo que Pacheco Pereira, ontem à noite, na Circulatura do Quadrado, perguntaria a Rui Rio o que pensa fazer em relação ao Acordo Ortográfico de 1990. Em vez de dar a resposta que deu, mais valia que Rui Rio tivesse um delíquio ou qualquer coisa assim benigna e temporária, mas que o impossibilitasse de revelar a enorme ignorância que tem em relação à língua. «Oh pá, o “facto” ponho c, o “fevereiro” às vezes escrevo grande, outras vezes pequeno, para ser sincero, oh pá, umas vezes ponho de uma maneira, outras de outra.» Não tem posição pessoal nem ideias sobre a questão, e por isso não se comprometeu. «Está lá a vermelho [no esboço do programa do partido].» Por conseguinte, não vale a pena alimentarmos grandes esperanças quanto ao que dali virá.

 

[Texto 11 678]

Helder Guégués às 14:44 | comentar | favorito
Etiquetas:

Léxico: «elefante-marinho-do-sul»

Mas mais à frente

 

      Duas páginas mais à frente, já noutro artigo, mais uma: «Dentro da vasta família das focas (Phocidae), a espécie que fornecia óleo em maior abundância era o elefante-marinho-do-sul (Mirounga leonina), cujo habitat natural são as ilhas e arquipélagos da região subantártica» («Açorianos na caça às focas», Carlos Rilley, My Plan, Novembro de 2017, p. 30).

 

[Texto 11 677]

Helder Guégués às 14:13 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pato-escuro-americano»

O mais pesado

 

      «O Caldeirão, uma das principais zonas húmidas dos Açores, é um dos lugares mais apetecíveis para espécies como limícolas, garças e patos, que ocupam uma cratera silenciosa, dominada por plantas e aves que lá fazem o seu habitat, como são os casos da narceja-comum, ao pato-real, ao pato-escuro-americano, à marrequinha, entre outras» («Aves no Corvo», Sílvia Toste, My Plan, Novembro de 2017, p. 28)

      De todos, o único que o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora ainda não regista é o pato-escuro-americano (Anas rubripes). Já que é americano, diga-se que o nome em inglês é American black duck. É a espécie mais pesada da família dos Anatídeos.

 

[Texto 11 676]

Helder Guégués às 14:02 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
04
Jul 19

Léxico: «gasodoméstico»

É só olhar

 

      À minha frente, a caminho de Cascais, vinha uma carrinha da Kick Repair, empresa de reparação de electrodomésticos e gasodomésticos. Achei que a Porto Editora ia gostar de saber.

 

[Texto 11 675]

Helder Guégués às 10:43 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
03
Jul 19

Léxico: «barata-alemã»

Simplesmente barata

 

      «As baratas alemãs [Blatella germanica], as mais comuns no mundo, vivem exclusivamente em ambientes humanos e podem transportar organismos patogénicos, como salmonella, enterococcus, e. coli, outros micróbios resistentes a antibióticos» («É cada vez mais difícil matar uma barata», Marta Grosso, Rádio Renascença, 3.07.2019, 16h39).

      Sim, barata-alemã, mas nos nossos dicionários só se vê barata. Dedicando-se Marta Grosso «mais às áreas de saúde e sociedade», menos desculpável é que não saiba escrever como deve ser: Salmonella, Enterococcus, E. coli. E, claro, barata-alemã.

 

[Texto 11 674]

Helder Guégués às 18:16 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

À volta da fechadura

Pequenos problemas

 

      Sobre fechaduras e chaves no dicionário da Porto Editora. Em canhão, lê-se que é a «peça da fechadura onde entra a espiguilha da chave», mas em espiguilha não encontramos nenhuma acepção relativa a chave. Em segredo, também não deparamos com nenhuma acepção referente a fechadura. Aliás, em nenhum dicionário. Em testa, não vamos encontrar nenhuma acepção respeitante a fechadura, e contratesta nem sequer está dicionarizado. Belo panorama, sim senhor.

 

[Texto 11 673]

Helder Guégués às 17:26 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,
03
Jul 19

Léxico: «hílico»

Também da filosofia

 

      Ah, a origem da substância psíquica e hílica da... Alto! Hílico também não está no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora. Provém do latim tardio hylicus, do grego ὑλικός (hylikos), que, por sua vez, provém de ὕλη (hylē), «madeira». No gnosticismo, significa corpóreo, material. Por acaso, temos palavras desta família naquele dicionário, e desde logo o elemento de composição hile-, «elemento de formação de palavras que exprime a ideia de madeira, matéria, substância». Como termo da filosofia, acolhe também hilé: «FILOSOFIA (Husserl) matéria da sensação como dado puro, antes da intervenção da actividade intencional do espírito, que lhe confere um sentido».

 

[Texto 11 672]

Helder Guégués às 14:10 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,