31
Dez 19

Léxico: «tintinabular»

Mal preparada

 

      «Na ponta da empena corre o muro — o templo da montanha relativamente próximo. Será de um pequeno sino, e é nele que ouvimos o tintinabular do trânsito, muito, muito ao longe. Em 1968, tinham reaparecido sob o viaduto os mesmos sinais ambulantes» (A Cidade de Cobre: relatos, Gil de Carvalho. Lisboa: Cotovia, 2001, pp. 207-8).

      Parece que a palavra do dia foi muito mal preparada... Na Infopédia diz-se que é «titinabular», clicamos e, como previsto, levamos com isto: «Queria pesquisar tintinabular?» Eu não queria, tu é que querias. A única forma é tintinabular, que vem do latim, língua em que se formara de uma onomatopeia e na qual também existia o vocábulo tintinnabulum, «sino, campainha».

 

[Texto 12 550]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
31
Dez 19

Léxico: «tartaruga-oliva | tartaruga-cabeçuda»

Em quatro, duas

 

      «Foi caçar tartarugas, abundantes perto de Com, a sua aldeia natal (tartaruga-de-couro, tartaruga-cabeçuda, tartaruga-de-pente e tartaruga-oliva), que este homem quarentão, alto e franzino, um longo pescoço e uma bandana vermelha atada à cabeça, se tornou mestre na arte da pesca com arpão» («Harmonia entre homens e peixes», Peter Guest. Tradução de Maria Alves. Courrier Internacional, Setembro de 2019, p. 26). Não está totalmente mau: só não tens a tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e a tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), que é outro nome por que é conhecida a tartaruga-comum, que já registas.

      A propósito de animais, ontem vi aqui perto de casa, em Lisboa, pela primeira vez, um pilrito-de-bico-comprido, que consegui fotografar. Sim, é uma ave limícola, mas também as gaivotas vêm do Tejo muitas vezes aqui.

 

[Texto 12 549]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Dez 19

Léxico: «antipodiano»

Tens um sinónimo

 

      «Numa carta de 1944 a Max Born, Einstein resumiu bem a essência do seu conflito com este novo ramo da ciência: “Temos de nos tornar antipodianos nas nossas expetativas científicas. Você acredita no Deus que joga aos dados e eu numa lei e numa ordem completa num mundo que existe objetivamente”» (Pensar como Einstein, Daniel Smith. Tradução de Rita Canas Mendes. Amadora: Vogais, 2015, p. 159).

      Vá, fiquem com estas enquanto eu tento sair aqui da Portela de Sintra. Amanhã falamos.

 

[Texto 12 548]

Helder Guégués às 09:45 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «polímata | polímato | polímate»

Azar o nosso

 

      «Henri Poincaré (1854-1912). Polímate francês que muitos creem merecer mais crédito do que lhe é atribuído por ter prognosticado vários elementos da teoria especial» (Pensar como Einstein, Daniel Smith. Tradução de Rita Canas Mendes. Amadora: Vogais, 2015, p. 87).

      Pois, está errado. No original, está «a French polymath», e em português tanto pode traduzir-se por «polímata francês» como, mais raro, «polímato francês». Isso mesmo, temos três palavras, polímata, polímato, polímate, mas esta última é um adjectivo.

 

[Texto 12 547]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Tradução: «Privatdozent»

Os Alemães é que sabem

 

      «Finalmente, em fevereiro de 1908, foi-lhe concedido o seu primeiro lugar numa instituição de ensino como Privatdozent (académico assistente) na Universidade de Berna» (Pensar como Einstein, Daniel Smith. Tradução de Rita Canas Mendes. Amadora: Vogais, 2015, p. 65).

      Académico assistente — o que é isso? Quem sabe mesmo o que significa Privatdozent são os Alemães: «Titel eines habilitierten Hochschullehrers, der noch nicht Professor ist und nicht im Beamtenverhältnis steht.» (Dicionário da Duden). No original, lê-se «a junior academic», algo também de significado difuso.

 

[Texto 12 546]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,

Mais vírus, muitos vírus

Só que há mais

 

      «A partir de 2020, a vacina para a Meningite B vai passar a ser gratuita, tal como a extensão aos rapazes a partir dos 10 anos da vacina para o HPV, que até agora apenas era dada às meninas. A vacina contra o rotavírus, na origem da gastroenterite agudas, também será gratuita, mas apenas para grupos de risco que serão futuramente definidos» («Vacinas para Meningite B, rotavírus e HPV gratuitas a partir de outubro», Anabela Góis e Susana Madureira Martins com redacção, Rádio Renascença, 27.12.2019, 10h01).

      Então, temos no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora citomegalovírus, coronavírus, flavivírus, hantavírus, herpesvírus, norovírus, poliovírus, rinovírus e rotavírus, entre outros que decerto não vi. No Dicionário de Termos Médicos, isolados, temos lissavírus e orbivírus. Por nada, porque sim, não é? Por outro lado, também surpreende que registem estes e faltem, por exemplo, alfavírus, avulavírus, betacoronavírus, betapoliomavírus, cabassouvírus, cardiovírus, coltivírus, cosavírus, eritroparvovírus, flebovírus, gamainfluenzavírus, henipavírus, metapneumovírus, morbilivírus, moluscipoxvírus, ortobuniavírus, ortonairovírus, ortopneumovírus, radinovírus, respirovírus, rubulavírus, varicelovírus...

 

[Texto 12 545]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «recomendador»

Pois existe

 

      «Mas, se queremos boas recomendações — alguém poderia tê-lo avisado —, não devemos aborrecer o nosso recomendador» (Pensar como Einstein, Daniel Smith. Tradução de Rita Canas Mendes. Amadora: Vogais, 2015, p. 63). Não está no dicionário da Porto Editora. No original, a palavra é referee, e nesta acepção também não está no Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora. Quanto a este, porém, não digo mais nada. É outro feudo.

 

[Texto 12 544]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Dez 19

Léxico: «informar», de novo

É como vês, Porto Editora

 

      «Eles debatiam questões especulativas como o que é possível saber-se sobre a realidade, dando assim a Einstein uma formação que viria a informar muito do seu trabalho» (Pensar como Einstein, Daniel Smith. Tradução de Rita Canas Mendes. Amadora: Vogais, 2015, p. 44).

 

[Texto 12 543]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,