Léxico: «despenadeira»

Uma eutanásia primitiva

 

      «Aos dias de hoje a população de Nisa não sabe quem eram as despenadeiras que entre os séculos XVIII e XIX terão abreviado a agonia a doentes terminais lá da terra, como constatou a TSF entre populares de várias idades. Mas à boleia do livro de Teófilo Braga é revelado que as despenadeiras acreditavam estar a praticar um ato de caridade poupando o moribundo ao sofrimento» («Quem eram as despenadeiras de Nisa? As mulheres que ajudavam a morrer», TSF, 20.02.2020, 10h47).

      E depois, pelo menos no Brasil, há outro tipo de despenadeira: máquinas, com o aspecto de betoneira, para depenar frangos. Nos nossos dicionários, nada de nada.

 

[Texto 12 869]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,