Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «domingueiro»

Mesmo a pé

 

   «Passadiços da Barra e Costa Nova fechados para afastar domingueiros» (J. P. C., Jornal de Notícias, 26.03.2020, p. 30). É claro que domingueiro não é somente o condutor empata, e geralmente inepto, que atravanca as estradas ao domingo. Não: é, e há muito, também simplesmente aquele que ao domingo passeia. «Um comboio que depositara a carga trazida de Lisboa buzinava também, para avisar que ia retomar a marcha. Os domingueiros encaminhavam-se para as escadas do Tamariz, coloridos, muitos deles empunhando transístores e crianças» (Do Fim do Mundo, Nuno Bragança. Lisboa: O Jornal, 1990, p. 49).

 

[Texto 13 088]

Léxico: «canetada»

Só do Brasil

 

      «Em uma semana, 70 mil pessoas foram denunciadas e processadas por violar a proibição de movimentação, bem mais do que as 53 mil infectadas com coronavírus. Aos poucos, os italianos vão descobrindo que não podem conter a pandemia na canetada» («Sem conseguir impor quarentena, Itália tem 793 mortes em 24h e 4.825 no total», Janaina Cesar, O Estado de S. Paulo, 22.03.2020, p. A14).

 

 

[Texto 13 087]

Léxico: «opacificação»

Não é apenas na medicina

 

      A Carglass tem outros serviços além da substituição dos pára-brisas. Um desses serviços é o polimento de faróis. Uma das primeiras tarefas, nesse serviço, é analisar o estado dos faróis quanto à opacificação. Parece-me bem, mas a Porto Editora recusa, quer opacificação apenas para a medicina. Ora esta...

 

[Texto 13 086]

Léxico: «quaternário»

Só em certos dicionários

 

      «A higienização do habitáculo é realizada com um produto que tem na sua composição um agente químico desinfetante do ar e das superfícies (composto de amónio quaternário), conforme as indicações da O.M.S. (Organização Mundial de Saúde), possibilitando assim a desinfeção eficaz contra o novo coronavírus» («Carglass cria serviço especial para quem combate o Covid-19», Pedro Junceiro, Motor 24, 30.03.2020).

 

[Texto 13 085]

Léxico: «fluoretado»

Não são muito diferentes

 

      «É preciso que todos percebam que esta medida imposta serve para proteção dos doentes, assim como dos profissionais de saúde, uma vez que se trata de uma atividade de alto risco, com taxas de contágio superior a 95% devido aos aerossóis produzidos pelos instrumentos rotatórios como é o caso da turbina. É do conhecimento geral que devemos cuidar diariamente dos nossos dentes, através de uma escovagem com pasta fluoretada após as refeições, o uso de fio ou fita dentária e bochecho com elixir [afirma Carlos Almeida, especialista em Medicina Dentária e Implantologia]» («“Tratamentos potenciam contágio”», Vanessa Fidalgo, Correio da Manhã, 1.04.2020, p. 27).

      Mentirosa: tu tens é floretado, que não tem nenhuma relação com fluoretado.

 

[Texto 13 084]

Léxico: «incursão»

E em Portugal?

 

      «Segundo os protocolos do ministério, um caso de pneumonia grave associado à Covid-19 apresenta frequência respiratória maior do que 30 incursões por minuto (uma incursão é uma inspiração e uma expiração; o normal, para um adulto em repouso, fica entre 12 e 20 incursões); dispneia, ou seja, desconforto para respirar; saturação de oxigênio no sangue inferior a 90%; cianose (quando pele, unhas ou lábios ficam com coloração azulada ou acinzentada) e disfunção orgânica» («Mesmo falta de ar não garante realização de teste para Covid-19», Phillippe Watanabe, Folha de S. Paulo, 1.04.2020, p. B8). Isto, no Brasil. Que nome tem em Portugal? Seja como for, tem de figurar nos dicionários como termo usado no Brasil.

 

[Texto 13 082]

Léxico: «autofiltrante | respirador»

De novo

 

      «Comercializam-se em Portugal quatro tipos de máscaras, que têm usos e proteção diferentes: as cirúrgicas e as autofiltrantes [também designadas respiradores, acepção que falta no dicionário da Porto Editora] (FFP1, FFP2 e FFP3). O DN explica os vários usos, informação prestada pela ANF. [...] As máscaras autofiltrantes são a FFP1, FFP2 e FFP3 (de acordo com a capacidade filtrante) e estão classificadas como Equipamentos de Proteção Individual em ambiente de trabalho de alto risco químico e/ou biológico» («Venda de máscaras dispara 1829,3% mas lavar as mãos e tossir para o braço é mais eficaz», Céu Neves, Diário de Notícias, 19.03.2020, 13h38).

 

[Texto 13 081]