Léxico: «capela de exaustão»

Ah, os dicionários...

 

      «Esta tarde, a Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa enviou um comunicado em que explica o incidente ocorrido pelas 11:30 no laboratório do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente. De acordo com o comunicado, o acidente aconteceu quando estava a ser realizada, numa ‘hotte’ (equipamento de proteção coletiva adequado à atividade), uma experiência com cloreto de titânio (IV), tóxico por inalação» («Edifício da Faculdade de Ciências de Lisboa evacuado por derrame de substância perigosa», João Ferreira Pelarigo, TVI 24, 4.10.2019, 17h25).

      Duas notas de interesse para nós, que não somos cientistas, mas defensores da nossa língua: também se diz, em vez de hotte, um termo francês de que afinal não precisamos, capela de exaustão, mas os nossos dicionários ignoram a questão.

 

[Texto 13 169]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (5) | favorito
Etiquetas: ,