25
Mai 20

Léxico: «notícia-crime | notitia criminis»

Notícias do Brasil

 

      «Na decisão que determinou o enviou dos pedidos à PGR, o juiz Celso de Mello avaliou que “a indisponibilidade da pretensão investigatória do Estado impede, pois, que os órgãos públicos competentes ignorem aquilo que se aponta na ‘notitia criminis’ [notícia-crime em latim]”» («PGR recebe pedidos de investigação que incluem apreensão do telemóvel de Bolsonaro», TSF/Lusa, 22.05.2020, 16h00).

      Porto Editora, há aqui matéria-prima para dois dicionários. Em boa hora compreendeste que tinhas de ter um dicionário de locuções latinas e expressões estrangeiras.

 

[Texto 13 422]

Helder Guégués às 17:15 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «retalhador | corta-pizas»

Desconfinem lá estas

 

      Cada vez que passo pela Drogaria Costa, na Visconde da Luz, dou sempre uma olhadela à montra, onde continuam bem à vista retalhadores de azeitonas, utensílio bem simples — um pedaço de tubo, como PVC, de uns 12 cm, com uma lâmina encaixada no interior — e útil. (Bem, imagino que façam mais falta noutras regiões do País, como no Alentejo ou nas Beiras.) Pois bem, está fora dos dicionários. Para a Porto Editora, retalhador é meramente «que ou aquele que retalha». Continuo a andar e, noutra loja de uma rua ali perto, vejo vários utensílios de cozinha, entre os quais um corta-pizas. Nos dicionários, nada.

 

[Texto 13 421]

Helder Guégués às 17:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «rastilho | capotraste | capotasto»

Vou perguntando

 

      Não sou — espero que não se note muito — especialista em instrumentos musicais, mas sempre pergunto, porque nasci para isso, se os termos rastilho e capotraste (ou capotasto) não deviam estar em todos os nossos dicionários e vocabulários.

 

[Texto 13 420]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «noticiabilidade»

Lida e ouvida

 

      «Recolhi-me em casa a 14 de março, tendo consciência de que isso seria por tempo indeterminado e que o confinamento teria de ser escrupulosamente cumprido. O meu trabalho centrado na noticiabilidade da covid-19 adensava a preocupação, mas reconheço que passei dias bons. Porque as pessoas de quem mais gostamos e que gostam de nós salvam-nos sempre, sobretudo na adversidade» («Os dias bons em tempo de confinamento», Felisbela Lopes, Jornal de Notícias, 22.05.2020, p. 31).

      Por mero acaso, na quinta-feira passada, ouvi Felisbela Lopes, na RTP2, a usar a palavra noticiabilidade.

 

[Texto 13 419]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «jinguenga»

É um fruto

 

       «No mercado é possível adquirir tomate, beringela, repolho, feijão, jinguenga, dentre outros produtos, provenientes do campo» («“Caporroto” é “antídoto” em comunidades rurais do Cuanza-Norte», Marcelo Manuel, Jornal de Angola, 22.05.2020, p. 6). Calma aí, Porto Editora, não confundas com jinguinga, que registas: «CULINÁRIA espécie de cabidela de tripas de cabrito enroladas com nacos de carne». A jinguenga (Aframomum alboviolaceum) é um fruto vermelho que se encontra nas savanas e florestas no Centro de África.

 

[Texto 13 418]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Definição: «caporroto»

Outra receita

 

      «Comunidades rurais dos municípios do Cazengo e Lucala, província do Cuanza-Norte, acreditam que a bebida caseira “caparroto” é o melhor antídito contra a pandemia da Covid-19. [...] Segundo ele, uns assim procedem por falta de recursos e outros por pura ignorância, tendo denunciado a existência de indivíduos que acreditam que o “caporroto” (aguardente caseira feita do bagaço da banana ou de açúcar) é o melhor antídoto contra o novo coronavírus» («“Caporroto” é “antídoto” em comunidades rurais do Cuanza-Norte», Marcelo Manuel, Jornal de Angola, 22.05.2020, p. 6).

      A Porto Editora tem outra receita de caporroto, ou capa-erre, como também é conhecido: «aguardente de milho muito forte, com destilação incompleta, de fabrico caseiro ou clandestino».

 

[Texto 13 417]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Ortografia: «febre-amarela»

E o hífen?

 

      «Sublinhou que efectuaram-se alguns testes, em laboratórios de âmbito nacional de referência, que resultaram negativo e com apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), foram enviadas amostras para Portugal e França, para um estudo de arboviroses (doenças transmitidas por vectores)» («Síndrome febril ictérico e hemorrágico em Luanda», Jornal de Angola, 22.05.2020, p. 23).

      Tudo muito bem, está dicionarizado pela Porto Editora, mas em arbovírus há um erro: «MEDICINA grupo de vírus responsáveis por bastantes doenças, como a febre amarela, a dengue e diversas encefalites».

 

[Texto 13 416]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
25
Mai 20

Léxico: «recria»

Uma letra a mais

 

     «A produção de ovos na empresa Kikovo, em Luanda, que já chegou a mais de um milhão por dia, caiu para 650 mil, representando uma quebra de quase 50 por cento. A administradora da Fazenda Pérola do Kikuxi, do grupo empresarial Diside, Elizabeth dos Santos, avançou que a impossibilidade de importação de genéticas, vacinas e o adiamento na entrada de recreias, estiveram na base da quebra produtiva» («Kikovo reduz oferta de ovos», António Eugénio, Jornal de Angola, 22.05.2020, p. 28).

      Recreias? Há-de ser — mas os dicionários estão bem caladinhos — recrias, que é a segunda fase da criação das aves poedeiras, quando têm entre sete e dezassete semanas de idade.

 

 [Texto 13 415]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,