02
Jul 20

Léxico: «cal branca | cal preta | barramento»

Sobre a cal

 

      «As designações cal branca e cal preta, ou parda, denominam dois tipos de cal diferentes e que sempre se produziram na região [Borba, Alto Alentejo]. A primeira é produzida a partir do mármore a cerca de 900 ºC, para uso em caiação e em estuques; a segunda, a partir de calcário e a cerca de 400º a 500 ºC, para utilização em argamassas e rebocos. O forno produz estes dois tipos de cal em simultâneo, tirando partido das diferentes temperaturas que se atingem no seu interior. [...] Segundo os mestres de Barro Branco, a cal branca em pasta era usada por estucadores em trabalhos, sobretudo, de interiores, por pedreiros em acabamentos de rebocos exteriores (barramentos) e por caiadores, misturada com maiores percentagens de água em leite, ou água de cal. A cal parda era utilizada em rebocos e argamassas exteriores» (Maria Fernandes, «Os materiais e os sistemas construtivos tradicionais na região dos mármores», in revista Monumentos, n.º 27, 2007, DGPC, pp. 171-72).

 

[Texto 13 645]

Helder Guégués às 09:45 | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «coribântico»

Não é para nós

 

      «Entretanto, encontra um homem, cuja pior doença é a de gostar de ouvir discursos; ao ver esse homem, Fedro regozijou-se por ter encontrado alguém que poderia associar-se ao seu delírio coribântico e, por isso, o convidou a fazer-lhe companhia» (Pensamento Português, vols. 1-3, J. Pinharanda Gomes. Braga: Editora Pax, 1969, p. 106).

      Esse homem, garanto, não era eu, que cada vez tenho menos paciência para ouvir mais do que meia dúzia de palavras de uma vez. Quanto ao delírio coribântico, a Porto Editora não deixa que sejamos atingidos por tal — isso é só para estrangeiros.

 

[Texto 13 644]

Helder Guégués às 09:30 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «paliçar»

Esfumou-se

 

      «Porque, ao que parece, os membros do Conselho de Ministros, embaixadores e pessoas com doenças comprovadas por atestado médico podem paliçar, à vontade, as suas casas» (Até Ficar Rouco, Machado da Graça. Maputo: Ndjira, 1996, p. 96). Dantes, até em gramáticas aparecia o verbo paliçar; agora, esfumou-se, simplesmente. Impressionante. Depois o falante precisa dele e, atarantado, vai procurar perífrases ou outros verbos. Pois saibam que já esta semana o usei numa tradução.

 

[Texto 13 643]

Helder Guégués às 09:15 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «biologização»

De novo: só o verbo?

 

      «Há, de facto, histórias por estudar e contar a este respeito. A imaginação da Europa foi, amiúde e de modo variado, influenciada pela questão colonial, do mesmo modo que esta última foi certamente condicionada pelas dinâmicas de interacção entre sociedades europeias, e entre estas e o resto do mundo. Os projectos de construção de uma “Euráfrica”, produzidos em cronologias e contextos diferentes, com motivações e ambições distintas, são confirmações do primeiro ponto. Os projectos europeus de expansionismo colonial formulados desde finais de século XIX, embrulhados em “missões civilizadoras” e planos de “desenvolvimento” e guiados pela biologização do globo (um organismo feito de “espaços vitais” a ocupar, de “raças” a hierarquizar e por controlar) e pela busca de novos mercados, fazem-no para o segundo» («“O nascimento da União Europeia foi um assunto global e euroafricano”», Miguel Bandeira Jerónimo e José Pedro Monteiro, «Ípsilon»/Público, 8.05.2020, p. 15).

 

[Texto 13 642]

Helder Guégués às 09:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «biblismo»

Em que se fala de Trump

 

      «É verdade que o movimento fundamentalista norte-americano confessa que a Bíblia é inspirada pelo Espírito Santo, razão da inerrância das suas escrituras. Servir-se dessa equívoca evocação, para cobertura da política nacional e internacional de Donald Trump que destila ódio e violência obriga a questionar esse ambíguo biblismo» («A Bíblia, Trump e a violência», Frei Bento Domingues, O. P., Público, 14.06.2020, p. 9).

 

[Texto 13 641]

Helder Guégués às 08:45 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «arame requeimado»

Arames há muitos

 

      Porto Editora, tu que ficas pelo arame farpado, tal como todos os outros dicionários, tens de fazer crescer o verbete arame. Ficas hoje a conhecer outro, dos muitos que existem: arame requeimado, usado diariamente de norte a sul do País. Na construção, é o nome que se dá ao arame de atar usado nas armaduras para betão armado. O nome deriva do seu processo de fabrico.

 

[Texto 13 640]

Helder Guégués às 08:30 | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «autentificação»

Mais uma vez, só o verbo

 

      «Donald Trump não era obrigado, mas seguiu o costume de fazer o juramento de posse de Presidente dos EUA sobre a Bíblia. Agora, acossado pelas manifestações contra a morte do afro-americano George Floyd, exibiu-a como autentificação divina da sua política» («A Bíblia, Trump e a violência», Frei Bento Domingues O. P., Público, 14.06.2020, p. 9).

 

[Texto 13 639]

Helder Guégués às 08:15 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
02
Jul 20

Léxico: «camarinha | rufo»

Estamos no telhado

 

      O relatório também propõe que todo o exterior da casa das máquinas, no terraço, seja revestido com o sistema de camarinhas e no murete do telhado seja aplicado rufo contínuo de alumínio. Então estas designações, que se usam de norte a sul do País diariamente, estão ausentes de quase todos os dicionários? 

 

[Texto 13 638]

Helder Guégués às 08:00 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,