06
Out 20

Léxico: «chouço»

Uma variante

 

      «Há-os [muros de pedra seca] com várias funções, uns que podem ser essenciais para o cultivo em encostas íngremes, outros que são “chouços” defensivos, com os topos agudos, em lança, para que os lobos não saltem» («Pedra sobre pedra», Guta Moura Guedes, «Revista E»/Expresso, 5.09.2020, p. 85).

      O dicionário da Porto Editora apenas regista chouso («muro de pedras soltas, construído para delimitar terrenos ou defender assentamentos de gado»), mais próximo do étimo, mas ambos são legítimos e usados.

 

[Texto 14 092]

Helder Guégués às 10:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «iniciatório»

Não conhecem

 

   «Foi, naturalmente, uma iniciatória experiência novelística desbravadora, com indecisões evidentes e alguma retórica formal recebida do modernismo literário então em voga no Brasil» (Tempo de Leitura, Álvaro Salema. Lisboa: Moraes Editores, 1982, p. 88).

 

[Texto 14 091]

Helder Guégués às 09:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

À volta dos relógios

Autonomia infinita

 

      Estou farto de relógios inteligentes. Tão inteligentes, que somos seus escravos. O Apple Watch 4 que uso tem dois defeitos capitais: ecrã morto e bateria para menos de um dia. Também tenho um Garmin Vivoactive de modelo mais antigo, com ecrã transflectivo e bateria inicialmente para 504 horas. Ao fim de uns anos, ainda aguenta cerca de duas semanas. Mas tem outros defeitos. Tenho de voltar à simplicidade: agora estou a pensar num relógio mecânico automático. Pelo que vejo, ficaria muito bem servido com um Meistersinger Nº 03, com reserva de marcha (o que os dicionários ignoram) para 40 horas. Tão simples, na verdade, que tem apenas um ponteiro (característica que, a meu ver, obriga a rever a definição de relógio em alguns dicionários) e sem complicações. Em princípio, não tenciono comprar um movimentador (acepção que os nossos dicionários também ignoram — é o watch winder da língua inglesa), pois movimento muito as mãos. Além de que, ao que julgo, estes relógios têm corda manual auxiliar.

 

[Texto 14 090]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «pulmonologista»

Avistada pela primeira vez

 

      «Todavia, a questão das “48 horas” não veio de Conley, mas sim de Brian Garibaldi, pulmonologista da Universidade de Johns Hopkins que trabalha com a equipa médica da Casa Branca. Este disse que o Presidente dos EUA tinha começara o tratamento Regeneron “há cerca de 48 horas", ou seja, durante a tarde de quinta-feira» («“Muito bem” ou “muito preocupante”? Relatos opostos geram dúvidas sobre estado de saúde de Donald Trump», Inês Braga Sampaio, Rádio Renascença, 3.10.2020, 22h45).

      É a primeira vez que topeço nela. À primeira vista, parece ter sido inventada por uma criança, mas não, encontramo-la aqui e ali.

 

[Texto 14 089]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «beef»

Disputas alienígenas

 

      «Nas redes sociais, foram muitos os adolescentes que, face às informações de um confronto entre grupos rivais, apelaram a que terminem os “beefs” (“disputas”) entre diferentes zonas da Grande Lisboa. “Vocês têm de parar com esses ‘beefs’ das zonas, já está na hora de crescer”, lia-se numa publicação partilhada no Twitter por mais de 500 pessoas e apoiadas por cerca de mil utilizadores» («Rapaz morto à facada em luta de grupos rivais da Grande Lisboa», Inês Banha e Roberto Bessa Moreira, Jornal de Notícias, 3.10.2020, p. 16). «O chamado “beef” (encontro marcado exclusivamente para confrontos) foi agendado para quinta-feira, na estação da CP de Amadora» («Confronto fatal com origem em disputa por raparigas», Alexandre Panda, Jornal de Notícias, 4.10.2020, p. 12).

 

[Texto 14 088]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | favorito
Etiquetas:

Léxico: «beateira»

Faziam falta

 

      «A ASAE revelou ao JN que 150 operadores económicos foram fiscalizados, tendo instaurado 18 multas ao comércio a retalho e a empresas de prestações de serviços. Nove processos corresponderam à falta de cinzeiros nas paragens de transportes públicos e outros nove à inexistência de beateiras no comércio local. Esta autoridade, a que o Parlamento deu poderes para fazer cumprir a lei de setembro de 2019, instaurou também “um processo de contraordenação a um cidadão”» («Num mês houve 44 multas por beatas atiradas ao chão», Nuno Miguel Ropio, Jornal de Notícias, 3.10.2020, p. 6).

 

[Texto 14 087]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Como se escreve por aí

Fique só pelo árabe

 

      «Em parte, essa suposta autenticidade de Trump ajudou-o a seduzir gente suficiente para negar a presidência a Hillary Clinton: ao passo que Trump era visto como um fanfarrão mentiroso mas ao menos autêntico, Clinton era vista por muito eleitorado (alerta para a misoginia indisfarçada) como uma sabichona pespinenta, evidentemente bem preparada para ser presidente, mas insincera. Essa imagem, e o sexismo inerente a ela, permitiu construir com o episódio uma espécie de caricatura: Clinton era a “marrona”, a melhor aluna da turma que sempre se preparou para passar naquele exame; Trump o gândulo da turma que gosta de armar bulha e humilhar os outros (no outro dia disse-vos que não se podia falar uns minutos em português sem usar árabe e não vos enganei: “gândulo” vem do árabe clássico gandur ou gundur, “jovem mimado e mulherengo que vive sem trabalhar”)» («Trump é uma pessoa horrível (e isso importa)», Rui Tavares, Público, 2.10.2020, p. 44).

      A juntar à «nova» ortografia, é já fazer demasiados estragos, não, Rui Tavares? Diz-se pespineta (ou pispirreta) e gandulo, não como deixou aí escrito. Aliás, é inacreditável como foi saber como se escreve em árabe e não o fez para o português.

 

[Texto 14 086]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «caneco»

Da trípode ao caneco

 

      Diomedes, que foi o vencedor na corrida de carros, ganhou uma cativa e uma trípode. Uma trípode. Nos nossos dias, no futebol é de potes e canecos que se fala. Os potes para os sorteios, os canecos como troféus. Um pouco rasca, a condizer com os tempos. A questão é: porque não regista o dicionário da Porto Editora esta acepção de caneco?

 

[Texto 14 085]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
06
Out 20

Léxico: «arritmologia | arritmologista»

Esta é mais certa

 

      «“Vou sempre que os arritmologistas consideram oportuno ou sinta necessidade” [escreveu Cláudio Ramos]» («Tramado pelo coração», Correio da Manhã, 1.10.2020, p. 45). Aqui o estúpido do corrector ortográfico corrigiu-me três vezes (como o monstrengo) para «aritmologia».

 

[Texto 14 084]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,