14
Out 20

Léxico: «deriva»

Muito comuns

 

      «A polícia justamente não lhes dá tréguas. Mas a adolescência é, por vezes, uma militância teimosa, cheia de bravatas e derivas» («Cesare Pavese e o verão», José Tolentino Mendonça, «Revista E»/Expresso, 22.08.2020, p. 90).

      Então, Porto Editora, explica-me lá: onde é que tens esta deriva? Não tens esta nem tens mais três ou quatro acepções. No caso, este é um sentido figurado, mas abundantemente usado.

 

[Texto 14 148]

Helder Guégués às 09:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «matamorra»

Espoliados

 

      «É o caso da arquitetura das Casas de Salão e das matamorras em que se abrigavam dos piratas» («Louvada seja a ilha de Porto Santo», Marco C. Pereira, «b. i.»/Sol, 8.08.2020, p. 31). Isso mesmo: atamorra, matamorra e matmorra, como António Feliciano de Castilho também nos lembra nos Quadros Históricos de Portugal. Então e isto agora desaparece sem rasto em todos os nossos dicionários?

 

 

[Texto 14 147]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «subcapa | primário | lixagem»

Trazidos da loja

 

      Saímos da loja com tinta e uma lição sobre tintas. Primário, subcapa e aparelho. No dicionário da Porto Editora, o primeiro está razoavelmente bem definido; o segundo não consta; o terceiro está mal definido. A subcapa e o aparelho são utilizados como camada intermédia entre o primário e o esmalte de acabamento. Se esta camada for aplicada à pistola, dá-se-lhe o nome de aparelho. À minha frente tenho uma lata de subcapa sintética da Robbialac. «Confere excelente lacagem e opacidade. Bom poder de enchimento. Boa lixagem.»

 

[Texto 14 146]

Helder Guégués às 09:15 | comentar | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «desassolvar»

Quando menos esperamos, faz falta

 

      Então, Porto Editora, se eu descarregar uma peça da pólvora húmida por meio do saca-trapos, que nome tem isso? Estou a desassolvar a peça. Sabias? Não sabias. Por acaso tive de a usar recentemente na tradução de um texto em língua inglesa.

 

[Texto 14 145]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Definição: «adastra»

Definindo melhor

 

      Outro instrumento imprescindível para o ofício de ourives é a adastra, que está no dicionário da Porto Editora: «instrumento de ourivesaria para corrigir os aros dos anéis». O que me parece é que Constâncio a definiu melhor ao dizer que era o «ferro afusado com que os ourives arredondam e igualizam ou endireitam os aros dos anéis». Bem, eu tenho uma adastra, e é de madeira revestida a metal na parte afusada.

 

[Texto 14 144]

Helder Guégués às 08:45 | comentar | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «esca | eutipiose»

Vamos solucionar isso

 

      «Queimar é também obrigatório para as cepas que apresentam a doença que mais tem alarmado os produtores. Dá pelo nome de esca, é uma doença do lenho e (imagine-se) é muitas vezes transmitida pela tesoura de poda usada neste período» («E do frio renasce a vida», João Paulo Martins, «Revista E»/Expresso, 4.01.2020, p. 91). É também desta maneira que a eutipiose chega às videiras — mas nem eutipiose nem esca estão no Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora.

 

 

[Texto 14 143]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «idiorritmia | idiorritmo | idiorrítmico»

Próprio de cada um

 

      «O espírito da comunidade alimenta-se da idiorritmia, isto é, do ritmo próprio de cada um, de ritmos extremamente pessoais e tão invisíveis e singulares como o modo de cada pessoa respirar» («Os gestos de cada dia», José Tolentino Mendonça, «Revista E»/Expresso, 19.01.2019, p. 92). E, assim, também idiorritmo e idiorrítmico.

 

[Texto 14 142]

Helder Guégués às 08:15 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
14
Out 20

Léxico: «santulhana»

Também tradicional

 

      Ontem de manhã, José Candeias, na Antena 1, falou com o professor do Instituto Politécnico de Bragança responsável pelo Centro de Investigação de Montanha (CIMO), onde se está a estudar a variedade de oliveira Santulhana, originária do concelho de Vimioso e quase circunscrita a este e ao município vizinho de Bragança, azeitona que era tradicionalmente desprezada, mas que, afinal, tem potencial para produzir azeite de qualidade. O resto já os meus leitores adivinharam: santulhana não está em nenhum dicionário.

 

[Texto 14 141]

Helder Guégués às 08:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,