30
Nov 20

Léxico: «lechiguana | lecheguana»

Mel venenoso

 

      «Que memória consoladora para um viajante que durante seis anos (1816-1822), atravessando o “sertão brabo” e a fera floresta, quase morrera devido à ingestão de mel venenoso da “vespa lechiguana”, enfrentara os minúsculos “bicho-de-pé” (uma espécie de pulga que penetra a carne do hospedeiro quando se encontra adormecido e nela chega a pôr ovos), as onças e todos os predadores que muito legitimamente defendiam o seu habitat e os seus estômagos!» («O riso de uma borderline», Susana Neves, Tempo Livre, Set-Out. 2020, p. 9). (Pena o erro no plural: é «bichos-de-pé».)

 

[Texto 14 403]

Helder Guégués às 13:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «samaúma»

Não queremos isso

 

      «Ao escritor Alberto Pimentel, vereador do pelouro dos jardins do Município de Lisboa no princípio do século XX, devemos uma das mais preciosas descrições de como era dormir sobre samaúma ou sumaúma» («O riso de uma borderline», Susana Neves, Tempo Livre, Set-Out. 2020, p. 9).

      Atenção às variantes, Porto Editora. Temos larguíssimas centenas, quando não milhares, de variantes. Desprezá-las ou silenciá-las só mostrará a nossa estultícia.

 

[Texto 14 402]

Helder Guégués às 11:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «tourada à corda»

Pelo menos isso

 

      No sábado, vi uma reportagem na RTP Açores em que falaram da tourada à corda, típica da ilha Terceira. Até podem acabar com as touradas, mas não acabem com os dicionários em que se dá conta que elas existem.

 

[Texto 14 401]

Helder Guégués às 10:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
30
Nov 20

Léxico: «difónico»

Vamos reconhecê-lo

 

      «A par de Sainkho Namtchylak e de Yat-kha (de Albert Kuvezin que fez parte da primeira formação dos Huun Huur Tu) são, há quase trinta anos, um dos principais embaixadores do canto difónico khöömei» («Ciclo mundos. Das estepes de Tuva às florestas do Burundi», Luís Reis, Tempo Livre, Set-Out. 2020, p. 18).

 

[Texto 14 400]

Helder Guégués às 08:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
29
Nov 20
29
Nov 20

Léxico: «gelo seco»

Isso mesmo

 

      «A United Airlines foi, assim, autorizada a embalar as vacinas em 15.000 libras de gelo seco por voo – cinco vezes a quantidade permitida pelas regras da FAA, refere o “Wall Street Journal”. O gelo seco (que é dióxido de carbono congelado) é um material perigoso, pelo que está sujeito a limitações» («Covid-19. Vacinas já começaram a ser transportadas para alguns países», Pedro Mesquita e Marta Grosso, Rádio Renascença, 28.11.2020, 10h32).

      É mesmo, gelo seco é isso — mas porque não está nos dicionários? (Com as libras é que o pobre leitor poderá ficar confundido, não acham, Pedro Mesquita e Marta Grosso?) 

 

[Texto 14 399]

Helder Guégués às 09:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,
28
Nov 20
28
Nov 20

Léxico: «tigré | Tigrés»

Mas não

 

      «A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou, na terça-feira, o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país» («Comissão de direitos humanos etíope denuncia massacre de 600 civis em Tigré», Alexandre Martins, Público, 26.11.2020, p. 24).

      Para a Porto Editora, tigré é somente «uma das línguas do Nordeste da África». Não é assim: também designa o povo daquela região etíope.

 

[Texto 14 398]

Helder Guégués às 10:30 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
27
Nov 20
27
Nov 20

Léxico: «porta-janela»

É inevitável

 

      Por mais que nos esforcemos, há sempre palavras fora dos dicionários. «Tem duas janelas, a fazer canto, e uma porta-janela que dá para a varanda da frente, ampla como um terraço» (Um Espelho Só Meu, Ana Saldanha. Lisboa: Editorial Caminho, 2.ª ed., 2002, p. 53).

 

[Texto 14 397]

Helder Guégués às 10:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,