03
Nov 20

Léxico: «branquitude»

E há mais

 

      Quem disse que já tinham acabado? Eu não fui. «Embora as motivações, as histórias e as experiências possam ser diferentes, em sociedades marcadas por hierarquias rígidas, distinções de classe ou castas ou ainda pela colonização europeia, a ideia de “branquitude” está associada a valores morais positivos e a múltiplos privilégios estruturais» («“Into the White”. O mercado do branqueamento da pele em Lisboa», Chiara Pussetti e Isabel Pires, «P2»/Público, 21.06.2020, p. 16).

 

[Texto 14 276]

Helder Guégués às 09:45 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «histólogo»

Vaca ou burro

 

      «De regresso a Madrid, foi um astrónomo, Don Miguel Merino, quem o informou acerca do grande histólogo» (Quinze Prémios Nobel. Lisboa: Editorial Verbo, 1978, p. 55).

      No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora em linha (vá, para ninguém se sentir perdido...), apenas encontramos «histologista». É como só encontrar ou a vaca ou o burro no presépio.

 

[Texto 14 275]

Helder Guégués às 09:30 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «sensorialismo | sensorialista»

Aceita estes

 

      «Gosto sobretudo de me ver como um sensorialista, alguém que, estando consciente da importância dos sentidos no dia a dia, no seu impacto na relação com os outros e até na própria gestão das empresas, procura encontrar uma forma de potenciar os sentidos» [afirma Lourenço Lucena] («O poder dos sentidos», Sara Belo Luís, Visão, 9-15.07.2020, p. 70).

 

[Texto 14 274]

Helder Guégués às 09:15 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Definição: «correspondente»

Para confirmar

 

      «Eu ainda me lembro de, no jornal Diário de Notícias, fazermos fila para ficarmos com a carta de um dos nossos correspondentes numa terra do país, já não me lembro qual. Os correspondentes eram pessoas – não jornalistas, mas com uma avença — que nos mandavam notícias da sua terra. Não era urgente e por isso escreviam cartas» («O Natal está a chegar», Alice Vieira, Audácia, Dezembro de 2020, p. 11).

      Para a Porto Editora, contudo, correspondente é somente o «jornalista ao serviço de uma empresa de comunicação (jornal, estação de televisão, etc.) que assegura a cobertura noticiosa dos acontecimentos de determinada região». Ora, uma ex-jornalista deve saber do que fala. Por mim, sei que no verbete correspondente daquele dicionário faltam acepções.

 

[Texto 14 273]

Helder Guégués às 09:00 | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «científico-natural | científico-pedagógico»

Então, não percebo

 

      «Ignorar o facto científico-natural — a classe — é um crime de lesa-sociologia, um crime perante a ciência» (Para uma Sociologia da Monarquia Portuguesa, A. Crespo de Carvalho. Edição do autor, 1973, p. 55).

      Ia até achar natural, num súbito e lamentável acesso de complacência, que os dicionários não registem os adjectivos científico-natural ou científico-pedagógico, mas, diacho, é claro que não é assim. O dicionário da Porto Editora não acolhe, por exemplo, técnico-científico?

 

[Texto 14 272]

Helder Guégués às 08:45 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «bitínio | Bitínios»

Como se não tivessem existido

 

      «Imprevistamente, os bitínios vieram por detrás dos bosques e caíram sobre eles, matando as guardas avançadas e afugentando os outros para o campo» (A Retirada dos Dez Mil, Xenofonte. Tradução de ‎Aquilino Ribeiro. Amadora: Livraria Bertrand, 1960, p. 296).

      Para os nossos dicionários, nunca existiram. «Queria pesquisar betinho, bidino, bikini, bilénio, biénio, ditinho, titânio, titónio?», pergunta a Porto Editora.

 

[Texto 14 271]

Helder Guégués às 08:30 | ver comentários (3) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «p. p.»

Não é para todos

 

       «Marcelo Rebelo de Sousa recolhe 62,5%, em segundo surge Ana Gomes com 17,2% (a uma distância de 45pp em relação ao atual Presidente), e em terceiro, André Ventura com 7,6% de intenções de voto (e a cerca de 10pp de Ana Gomes)» («Eleito à primeira. Sondagem aponta Marcelo como vencedor absoluto», Judith Menezes e Sousa, TSF, 2.11.2020, 8h00).

      Creio que nunca tinha visto isto na imprensa. No dicionário da Porto Editora, p. p. apenas aparece como abreviatura de «próximo passado», «por procuração» e «pronto pagamento». Claro que há sempre um espaço — 45 p. p., 10 p. p. —, mas isso não são apuros para todos os jornalistas.

 

[Texto 14 270]

Helder Guégués às 08:15 | favorito
Etiquetas: ,
03
Nov 20

Definição: «caça a corricão»

Incompleto

 

      «Uma das especialidades das elites era a caça a corricão, porque requeria grandes propriedades, e sobretudo cavalos e galgos. Não envolvia tiros. Eram estes cães super-rápidos que corriam atrás das lebres até as apanharem (por destreza ou por exaustão do fugitivo). Se estiverem bem treinados, levavam-nas aos donos para serem mortas com um pau, mas muitas vezes o animal morria nos dentes do cão (ainda mais quando havia dois cães a disputá-lo). A caça a corricão (que, além de lebres, pode ser feita a raposas) é há décadas uma fonte de protesto das associações de defesa dos animais» («O regresso das elites às caçadas», Marco Alves, Sábado, 29.10.2020, p. 77).

      A Porto Editora tem, pelo menos, de completar a definição que apresenta de caça a corricão: «fazer levantar a caça por meio de cães».

 

[Texto 14 269]

Helder Guégués às 08:00 | ver comentários (1) | favorito