06
Nov 20

A propósito de «estada» e «estadia»

A nossa parte

 

      Está bem que a professora é ignorante, mas que serviço presta a Porto Editora à língua e à cultura ao definir em estadia que é tanto a «residência durante um período de tempo; estada; permanência», como o «tempo que o capitão de um navio fretado é obrigado a permanecer no porto de chegada»? Então andamos aqui nós a dizer e a fazer o contrário e depois é isto? Temos de ENSINAR as pessoas, os falantes, não temos de seguir os seus erros, louvaminhá-los por serem carneiros. Temos de condenar os seus erros, não caucioná-los. Se, ainda assim, errarem, se se obstinarem, o problema é deles — nós cumprimos a nossa parte. Nem todas as sementes se perderão.

 

[Texto 14 286]

Helder Guégués às 12:30 | comentar | favorito

Léxico: «rosacruciano | rosacrucianista | rosacrucianismo | vedantista»

A palavra pesquisada não...

 

      «Não era de estranhar que, de acordo com Wright, a Califórnia fosse um viveiro de místicos de todas as confissões, “teosofistas, rosa-crucianos e vedantistas”. No meio de farsas, crenças alternativas e cultos coloridos, a Cientologia parecia mesmo ciência, um método credível de aperfeiçoamento individual. Fundada em 1954, a igreja foi crescendo e, mais do que isso, atraindo muitas estrelas de Hollywood e usando o sucesso dos seus membros para atrair novos seguidores» («Santos ou megalómanos? As vidas misteriosas de três homens que criaram religiões», Bruno Vieira Amaral, Observador, 27.03.2016, 11h09).

      Sei precisar quando conheci estas palavras, mas só direi que já foi há muito — e ainda não estão no dicionário da Porto Editora?! Não há ninguém que, tendo lido alguma coisa de ou sobre Fernando Pessoa, não se recorde de ter lido as três primeiras.

 

[Texto 14 285]

Helder Guégués às 09:30 | comentar | ver comentários (4) | favorito
Etiquetas: ,

Definição: «teosofia»

Mais clareza

 

      É impressão minha ou a definição de teosofia no dicionário da Porto Editora é demasiado obscura? É que eu não sou propriamente de compreensão lenta, e tive de a ler três vezes para concluir que está apenas mal redigida. Ora tentem: «doutrina que se apresenta como o conhecimento de Deus e das coisas divinas mediante o aprofundamento da vida interior como forma de elevação progressiva do espírito até à iluminação».

 

[Texto 14 284]

Helder Guégués às 09:00 | comentar | ver comentários (1) | favorito
06
Nov 20

Léxico: «netbol»

Antes que seja tarde

 

      «— Não há certezas — comenta, friamente. — Devia ter aparecido no trabalho, hoje. O primeiro jogo de netbol das miúdas é na próxima semana. Como é que as consigo treinar?»  (A Lista Que Mudou A Minha Vida, Olivia Beirne. Tradução de Luís Filipe Silva. Alfragide: Quinta Essência, 2019, p. 226).

      Isso mesmo. E com esta mesma grafia vi bolas de netbol à venda na Decathlon. Tudo menos nem sequer registar o termo inglês, como faz a Porto Editora, que só acolhe o termo netball no dicionário de inglês-português, onde nenhuma utilidade tem, pois limita-se a tentar (sem conseguir) defini-lo, não a dar, como se espera de um dicionário desta natureza, um termo equivalente na nossa língua. Diz assim: «jogo no qual tomam parte dois grupos, geralmente femininos com sete elementos cada».

 

[Texto 14 283]

Helder Guégués às 08:30 | comentar | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,