Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «zamorano»

Em Espanha

 

      «No Mercado del Val, o mais antigo mercado de Valladolid, construído no século XIX, também há muitas e boas opções de tapas. Para dormir não faltam hostels e alojamentos baratos, mas se estiver à procura de uma estadia mais cuidada, então aconselhamos o Hotel Boutique Gareus (preço médio: €70). Antes de voltar a Portugal, o desvio pela bonita Zamora vale bem a pena. Numa tarde, poderá conhecer as principais atrações da Capital do Românico: a Catedral, o Castelo, a Plaza Viriato, com os seus plátanos e a estátua do escultor zamorano Eduardo Barrón, e as azenhas da era medieval são pontos obrigatórios» («As melhores dicas para passar férias em Espanha», Eduardo Dâmaso e Filipa Teixeira, Sábado, 23.07.2019, 14h53).

 

[Texto 14 460]

Como se escreve por aí

Ao lado

 

      «Paulo Santos [investigador do Cintesis (Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde)] refere que esta proposta levanta uma questão de justiça social. E questiona-a: vamos pagar o quê e para quem? Qual o sentido deste pagamento? Se a pessoa é responsável pela sua saúde, vamos ser todos a pagar a saúde da pessoa porquê e com que base? “Não tenho a certeza [de] que consigamos descrever um contexto nesta doença que justifique que haja um esforço colectivo além do pagamento da própria vacina. É como estarmos a pagar para as pessoas irem às aulas e elas depois vão porque se não forem não recebem o dinheiro.” E se o incentivo for o de se deixar de usar máscara? “Isso faz algum sentido? [A vacina e a máscara] são medidas complementares e não auto-exclusivas”, responde» («E se as pessoas fossem pagas para receber a vacina?», Teresa Sofia Serafim, Público, 26.11.2020, p. 34).

      Isso de «auto-exclusivo» deve ser o nome de algum stande de automóveis, não? Por um pouco, acertava: é auto-excludente.

 

[Texto 14 459]

Léxico: «carcinogénico»

No teste de Ames

 

      «A regulamentação europeia dos cosméticos permite a utilização de óleos minerais, “se se conhecerem todos os antecedentes de refinação e se se puder provar que a substância a partir da qual forma produzidos não é carcinogénica”» («Batons: brincar com o perigo?», Fátima Ramos, Teste Saúde, Fev./Mar. 2019, p. 24).

 

[Texto 14 458]

Léxico: «microgranuloma»

Nódulos

 

      «Já no caso dos que se destinam aos lábios, a situação é diferente: quando ingeridos, os MOAH têm potencial cancerígeno e podem causar mutações genéticas, enquanto os MOSH são suspeitos de favorecerem o aparecimento de microgranulomas (nódulos) nalguns órgãos» («Batons: brincar com o perigo?», Fátima Ramos, Teste Saúde, Fev./Mar. 2019, p. 24).

 

[Texto 14 457]

Léxico: «investigador-chefe»

Mais um chefe

 

      «O professor Andrew Pollard, diretor do Grupo de Vacinas de Oxford e investigador-chefe dos Testes de Vacinas de Oxford, defendeu que esta análise mostra que “esta nova vacina tem um bom histórico de segurança e eficácia contra o coronavírus”» («Análise de resultados da vacina Oxford/AstraZeneca confirma eficácia até 90%», TSF, 8.12.2020, 16h15).

 

[Texto 14 456]

Léxico: «vacinologia | vacinologista | vacinólogo»

Tantos meses depois

 

      «Para Sarah Gilbert, professora de vacinologia da Universidade de Oxford, a análise dos resultados aos testes clínicos vem confirmar a eficácia da vacina em testes pré-clínicos e espera que a vacina, atualmente sujeita à avaliação da autoridade reguladora da Agência Reguladora de Saúde e Produtos Médicos (MHRA na sigla inglesa), seja aprovada» («Análise de resultados da vacina Oxford/AstraZeneca confirma eficácia até 90%», TSF, 8.12.2020, 16h15).

      Como é que ainda não tínhamos tropeçado nesta, tantos meses depois de esta maldita pandemia ter começado? Como é que nunca a encontraste, Porto Editora? «Queria pesquisar acirologia, caminologia, carcinologia, cinologia, palinologia?» (Já depois das 8h00 de hoje, foi entrevistado na rádio CanalSur o presidente da Asociación Española de Vacunología.)

 

[Texto 14 455]

Léxico: «pós-doc»

Antes assim

 

      «Aliás, foi sobre esta terapia que Diana fez recair o seu doutoramento colaborativo na UMinho e no Massachusetts Institute of Technology. Bolseira pós-doc desde 2017, Diana conseguiu uma posição no último concurso, mas desde a divulgação dos resultados, em novembro, que espera pela assinatura do contrato» («Jovens mulheres que desafiam a Ciência», Joana Amorim, Jornal de Notícias, 19.02.2020, 00h00).

      Até já me aparece assim em traduções. Concedo: mais vale um semiaportuguesamento do que nada. Já o adoptei.

 

[Texto 14 454]

Léxico: «nianja | cheua»

Dois problemas

 

      «O grupo etno-linguístico nianja (nyanja ou nhanja, língua cinianja, dito cheua ou cewa oriental) povoava na época as margens do Lago Niassa e as terras entre este Lago e a nascente do rio Lúrio (ver Mapa 3)» (História de Cabo Delgado e do Niassa (c. 1836-1929), Eduardo Medeiros. Maputo: Central Impressora, 1997, p. 76).

      Dois problemas, Porto Editora: não registas nianja como língua (remetes para cinianja) e cheua é-te completamente desconhecida.

 

[Texto 14 453]