Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «criptoactivo»

Fala-se muitos deles

 

      «Segundo o analista [Henrique Tomé, da XTB], “como a oferta de moedas em circulação destes cripto-ativos é limitada, à medida que o interesse dos investidores vai aumentando e por consequência a sua participação no mercado começa a surgir, os preços tendem a valorizar-se”» («Onde investir? Vacinas trazem mais apostas», Elisabete Tavares, «Dinheiro Vivo»/Diário de Notícias, 2.01.2021, p. 8).

 

[Texto 14 571]

Tradução: «walk-in closet»

Imagino

 

       No Idealista, vejo um apartamento com uma «suíte que tem walk-in closet (roupeiro de entrar a caminhar) e o outro no corredor». Imagino que seja designação que já terá dado que fazer a alguns tradutores. Também imagino que já tenha sido vertido das formas mais díspares — e remotamente fiéis. Por outro lado, não será melhor traduzi-la por «quarto de vestir»? É, pois. Infelizmente, quanto a divisões, o dicionário da Porto Editora só se lembrou do quarto de banho e do brasílico quarto de despejo. É pouco.

 

[Texto 14 570]

Léxico: «milorde»

No que se enganam

 

      «“Milordes”, dizia lorde Granville aos pares de Inglaterra, em Junho de 1869, “vós exerceis poder, grande poder, imenso poder para o bem; mas há um poder, que não tendes, nem vós, nem a câmara dos comuns: o de contrariar a vontade nacional, constitucionalmente manifestada”» (Discursos e Conferências, Ruy Barbosa. Porto: M. Barreira, 1955, p. 166).

      Contudo, para os nossos dicionários, milorde é somente «magnata inglês». Falta a acepção principal: designação que se dá aos lordes ou pares de Inglaterra quando se lhes dirige a palavra — como na esclarecedora frase de Ruy Barbosa.

 

[Texto 14 569]

Regência: «aspirar | aspirar a»

Vejamos com o mesmo verbo

 

      «Annie Cohen Kopchovsky imigrou com os seus pais para os Estados Unidos em 1875. Aí, tornou-se cidadã americana aos cinco anos. Mas [sic] tarde, aspirou ser jornalista, faz-se promotora de marcas, perdeu os pais em 1887, casou com um judeu ortodoxo, teve três filhos e ganhou a imortalidade ao conquistar o título de primeira mulher a completar uma volta ao mundo em bicicleta» («Annie Londonderry, a ciclista do século XIX que deu a volta ao mundo», Jorge Andrade, Diário de Notícias, 4.01.2021, p. 10).

      Ah, a regência verbal... Não, Jorge Andrade, não é como escreveu. No sentido de «ter por objectivo, pretender», é obrigatória a preposição: «aspirou a ser jornalista». «Começaram os monarcas a ser homens; e logo que um só homem podia muito nas monarquias, como dizia Pombal, também se poderá dizer que esta única mudança era bastante para fazer ruínas uma monarquia de bronze: — é porque um rei ambiciona ser bom rei; e um particular aspira a ser monarca» (Delitos de Mocidade, in Obras, Vol. 38, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Parceria A. M. Pereira, 1973, p. 118).

 

[Texto 14 568]