01
Fev 21

Léxico: «supranuclear»

Mas devia

 

      «O ator António Cordeiro morreu este sábado aos 61 anos, confirmou a Academia Portuguesa de Cinema nas redes sociais. [...] António Cordeiro padecia de paralisia supranuclear progressiva, uma doença rara, degenerativa, e encontrava-se afastado da atividade» («Morreu o ator António Cordeiro», TSF, 30.01.2021, 21h51).

      Como é que um simples adjectivo — não o nome da síndrome, evidentemente — como este só está num dicionário médico?

 

[Texto 14 637]

Helder Guégués às 10:30 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,

Léxico: «neurodegeneração»

Nada de novo

 

      «“No caso das doenças do cérebro é quase como montar um puzzle para se chegar a um diagnóstico. Há um conjunto de alterações, ao nível cerebral, que são comuns a várias doenças, num processo chamado neurodegeneração, que se caracteriza, principalmente, pela perda de neurónios. Este tipo de processo, que é generalizado e similar a várias doenças, difere do sítio onde começa. Existe ainda deposição de proteínas que são relativamente específicas de cada doença. Se a perda de neurónios estiver em locais relacionados com a memória, essa pessoa vai ter falta de memória, se estiver mais relacionada com áreas responsáveis pela marcha e movimentos, essa pessoa poder vir a ter doença de Parkinson. Além disso, há uma dificuldade adicional. É que alguns destes processos são comuns ao envelhecimento” [explica Ricardo Taipa, neurologista e coordenador executivo do Banco Português de Cérebros, que funciona no Hospital de Santo António, no Porto]» («Há um banco que guarda cérebros para investigação», Manuela Guerreiro, «Domingo»/Correio da Manhã, 6.12.2020, p. 27).

      Como é que não está no dicionário da Porto Editora, que acolhe o adjectivo «neurodegenerativo»? Ora, nada que não tivéssemos já visto vezes sem conta. Mas sim, sim: o passado já não interessa.

 

[Texto 14 636]

Helder Guégués às 10:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,

Como se escreve nos jornais

Inventa-se

 

      «O Benfica revelou que Jorge Jesus se encontra com uma infeção pulmonária e pode mesmo falhar o jogo dos encarnados com o BSAD desta quinta-feira, para a Taça de Portugal (acompanhe-o na Tribuna Expresso, leia as crónicas e assine a nossa newsletter)» («Na saúde e na doença, até que a morte nos separe», Pedro Candeias, Expresso Curto, 28.01.2021). Será que, passados todos estes dias, Pedro Candeias já se deu conta de que errou?

 

[Texto 14 635]

Helder Guégués às 09:30 | favorito

Léxico: «cepa | estirpe»

Se são sinónimos...

 

      «Os ensaios clínicos da vacina contra a covid-19 da Novavax mostraram uma eficácia de 89,3%, declarou esta sexta-feira a empresa de biotecnologia norte-americana num comunicado, que divulgou os resultados dos testes de fase 3. [...] A eficácia da vacina por cepa do coronavírus foi estimada em 95,6% contra a cepa original e em 85,6% contra a variante que apareceu no Reino Unido» («Vacina da Novavax mostra uma eficácia de mais de 89%», TSF, 29.01.2021, 7h06).

      Decerto, usamos muito mais o termo estirpe do que cepa para designar isto — mas não é essa a questão aqui. São sinónimos nesta acepção e, contudo, no dicionário da Porto Editora não há remissões em nenhum dos verbetes. Além de que convinha que a definição fosse exactamente a mesma nos dois verbetes.

 

[Texto 14 634]

Helder Guégués às 09:00 | ver comentários (1) | favorito

Léxico: «Antropoceno | Eemiano»

A peça principal do dia

 

      O Antropoceno, ensina-nos a Porto Editora, é o «período mais recente na história da Terra, em que as actividades humanas começaram a ter um impacto global significativo no clima do planeta e no funcionamento dos seus ecossistemas». Mais recente, pois — mas quando foi isso exactamente? Hão-de convir que dizer que foi quando «as actividades humanas começaram a ter um impacto global significativo no clima do planeta e no funcionamento dos seus ecossistemas» é de uma amplitude avassaladora. Ora, não é preciso inventarmos nada: recentemente, a União Internacional de Ciências Geológicas (para os maluquinhos que só percebem em inglês, International Union of Geological Sciences, IUGS) determinou que o início deste período geológico se situa logo após a Segunda Guerra Mundial, quando ocorreu uma escalada dos ataques ao ambiente, não apenas o aquecimento global, mas também os plásticos. Se não encontrarmos respostas para estas questões nos dicionários, onde vamos encontrá-las? Tiramos um curso? Se fosse só isto... Onde pára, por exemplo, o Eemiano, o período interglacial?

 

[Texto 14 633]

Helder Guégués às 08:30 | ver comentários (2) | favorito
Etiquetas: ,
01
Fev 21

Léxico: «custarda»

Antes assim

 

      «É o caso do pastel de nata, a tacinha crocante de massa folhada que contém o creme — custarda — mais viciante da história da pastelaria dita semi-industrial. [...] Do seu [da infanta D. Maria] famoso livro de cozinha consta a singela receita dos “pastéis de leite”, que era basicamente uma custarda vertida em tacinhas de massa que se levavam depois ao forno» («Pastel de nata, o mimo mais que merecido», Fernando Melo, Diário de Notícias, 27.01.2021, 7h00).

      Já a tenho visto até em livros de culinária, traduzidos ou originalmente em língua portuguesa. Pelos vistos, faz falta e, assim, antes aportuguesada do que o termo inglês.

 

[Texto 14 632]

Helder Guégués às 08:00 | ver comentários (1) | favorito
Etiquetas: ,