Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «co-criador»

Sempre o dinheiro, as finanças

 

      «Sarah Gilbert, co-criadora da vacina, reforça a ideia, afirmando que, “em muitos países diferentes e entre grupos de idade, a vacina está a fornecer um alto nível de proteção contra Covid-19”» («AstraZeneca. Estudo confirma segurança da vacina sem aumento de coágulos no sangue», Marta Grosso, Rádio Renascença, 22.03.2021, 7h48).

      Não é a opção de todos, mas a Porto Editora decidiu não dicionarizar co-criador, no dicionário sem o AO90, e cocriador, no dicionário com o AO90. Decidiu, ou, mais provável, calhou assim. Claro que, sendo Marta Grosso jornalista, e não vendedora de ovos, tem culpa em não escrever como deve ser. Vamos ajudá-la? Se formos pela frequência de uso, é evidente que «co-criador» ultrapassa em muito «co-credor», pelo menos na minha experiência. (Chico Três-Quartos dirá o contrário, mas tem uma perspectiva muito mais limitada.)

 

[Texto 14 852]

Léxico: «conflituar | conflitar»

Parece impossível

 

      «Nenhuma vida vale mais do que outra. Nenhuma vida vale menos. A vida dos fracos vale tanto como a dos fortes. A vida dos pobres vale o mesmo que a dos poderosos. A vida dos doentes tem um valor idêntico à vida dos saudáveis. Passar a ideia de que há vidas que, em determinadas situações, podem valer menos do que outras é um princípio que conflitua com os valores universais que nos regem» («10 razões civis contra a eutanásia», José Tolentino Mendonça, «Revista E»/Expresso, 8.02.2020, p. 98).

      Estás a brincar, Porto Editora? Nem no dicionário de verbos? Nem sequer a variante?

 

[Texto 14 851]

Léxico: «premiável»

Depois do «pressionável»

 

      «Mas a Academia, que erradicou Polanski do número dos seus membros em 2018, na época mais acesa da ‘limpeza’ impulsionada pelo #MeToo na sequência do escândalo Weinstein, não poderia, sem que uma vozearia se erguesse, voltar a tornar o cineasta premiável» («Os grandes ausentes. Roman Polanski», J. L. R., «Revista E»/Expresso, 8.02.2020, p. 4). Só, bah!, num bilingue, premiabile.

 

[Texto 14 850]

Léxico: «desejar ver pelas costas»

Simbolicamente

 

      Para quem desejava ver-me pelas costas, conseguiram. Em efígie, claro. Entretanto: «De uma, duvido; da outra, tenho a quase evidência que me deseja ver pelas costas» (Agulha em Palheiro, in Obras de Camilo Castelo Branco, Vol. 22, Camilo Castelo Branco. Lisboa: Parceria A. M. Pereira, 1966, p. 123). Não seria conveniente pôr isto no dicionário da Porto Editora? Se está nos bilingues... Até para acautelar, por causa dos maluquinhos que levam tudo à letra.

 

[Texto 14 849]

Léxico: «microtrombo»

Se está um

 

      «Também na última quinta-feira, as autoridades de saúde sueca atribuíram a morte de uma pessoa no domingo a uma reação grave à vacina da AstraZeneca, que terá provocado microtrombos nos vasos sanguíneos. Era um dos três profissionais de saúde internados no fim de semana em Oslo, todos com o mesmo quadro clínico» («Mais três pessoas morreram na Geórgia, Noruega e Suécia após terem sido vacinadas contra a Covid-19. Autoridades de saúde culpam AstraZeneca», Marta Leite Ferreira, Observador, 19.03.2021, 12h21).

      Se registas, por exemplo, microtrauma, Porto Editora, não sei porque não hás-de registar igualmente microtrombo.

 

[Texto 14 847]