Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «portisina»

Ciência a copo

 

      «Investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) identificaram moléculas, a partir do vinho do Porto, que podem ser utilizadas no desenvolvimento de fármacos para o tratamento de doenças de pele, como o cancro ou psoríase. [...] Da síntese de pigmentos azuis e das moléculas identificadas fazem parte as portisinas, batizadas por terem sido descobertas originalmente no vinho do Porto» («Identificadas moléculas a partir do vinho do Porto que podem tratar doenças de pele», TSF, 7.04.2021, 11h05).

 

[Texto 14 929]

É o meu conselho

Vamos lá calar (ou contratar)

 

      «Helder, este fim de semana procura os ovos da Páscoa apenas dentro do teu conselho 😆 Se precisares de viajar, vai em segurança com a FREE NOW. Feliz Páscoa 🐰🥚». O meu conselho é que contratem alguém que saiba escrever.

 

[Texto 14 928]

Velho Continente

Essa lógica

 

      Anda de rastos: «Descem aos quatro metros no solo granítico da Ilha da Liberdade, assim apelidada na década de 1950, as fundações da estrutura que assinala o território de dimensão modesto [sic]. [...] Hunt, homem com educação e percurso académico ligados à Europa, visitava amiúde o velho continente. [...] Ilustram-no bestas marinhas, caravelas, reproduções de naufrágios e aquela que se crê ser a primeira reprodução num globo do Novo Mundo, descoberto em 1492 por Cristóvão Colombo» («“Aqui estão os dragões”, a expressão que viajou do século XVI para o mundo digital», Jorge Andrade, Diário de Notícias, 5.04.2021, p. 15).

 

[Texto 14 927]

Léxico: «milfontense» e mais dezoito

Sexta-feira, 19

 

      «Em homenagem ao local da descoberta, Vila Nova de Milfontes, no distrito de Beja, os investigadores nomearam esta nova espécie de ‘Ypsolopha milfontensis’» («Investigadores descobrem nova espécie de borboleta noturna no Alentejo», TSF, 8.04.2021, 12h39). A propósito de milfontense, que tu, Porto Editora, ignoras completamente, lanço para o teu regaço estoutras, TPC para uma semana: alburitelense, alveguense, assentizense, atalaiense, atouguiense, burinhosense, caxariense, fratelense, gandarense, marrazense, martingancense, montargilense, ortigosense, pousense, rendufense, seicense, soudense, vieirense (de Vieira de Leiria). Dicionários fora dos dicionários.

 

[Texto 14 926]

Léxico: «lepidopterologia»

Schmetterlingskunde, Porto Editora?

 

      Só o tens num bilingue, Porto Editora: «Em comunicado, o centro da Universidade do Porto explica hoje que a descoberta, publicada na revista científica SHILAP Revista de lepidopterologia, decorreu durante trabalhos de campo, realizados entre Vila Nova de Milfontes e o Cabo Sardão, para encontrar “borboletas do género ‘Ypsolopha’, que em Espanha se alimentam de plantas género ‘Ephedra’”» («Investigadores descobrem nova espécie de borboleta noturna no Alentejo», TSF, 8.04.2021, 12h39).

 

[Texto 14 925]

Léxico: «retrovírico»

Outro esquecido

 

      «Experimentaram-se muitos fármacos, antiparasitários, medicamentos para a gota, retrovíricos, antimaláricos, mas apenas o Remdesivir, um antivírico aproveitado do ébola, foi recomendado fora de ensaios clínicos [afirma Fernando Maltez, director do Serviço de Infecciologia do Hospital Curry Cabral]» («“Com vírus endémico teremos de nos vacinar todos os anos”», Christiana Martins, Expresso, 12.03.2021, p. 23).

 

[Texto 14 924]