Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «ferrelense» e muitos outros

São muitos

 

      «Referindo-se seguidamente à Comissão Administrativa, um ferrelense disse-nos: “O problema já se arrasta há mais de um ano, desde que a comissão de moradores falou, logo a seguir ao 25 de Abril, com a C. A. [...]”» (O Suicídio Nuclear Português, Afonso Cautela (org.). Lisboa: Socicultur, 1977, p. 88).

      Se fosse apenas ferrelense que faltasse nos nossos dicionários... Então e abelheirense, abragonense, abreirense, abrunhosense, alcanedense, alcantarilhense, alcariense, alcoentrense, alfercense, alfragidense, algozense, alhandrense, almancilense, altense, alviobeirense, alvorense, ameixialense, amiense, arcuense (também da freguesia de Arcos, Estremoz), areguense, argense, armacenense, arrentelense, asseiceirense, azinhalense, benafinense, bensafrinense, bidoeirense, bobadelense, boliqueimense, brogueirense, bucelense, cabanense, cacelense, cachopense, camaratense, cambense, campinense, carnaxidense, carrascalense, carvalhense, carvoeirense, charnequense, culatrense, entradense, ervideirense, estevense, estoiense, estombarense, ferragudense, frazoeirense, freixialense, frielense, fusetense, gondarense, gradilense, gulpilharense, junceirense, linhaceirense, louriceirense, malpiquense, maratequense, martinlonguense, meiaviense, melidense, mesquitense, messinense, mexilhoeirense, moledense, monsantense, montenegrense, moscavidense, nafarrense, ninense, odeceixense, olhalvense, parchalense, pedreirense, pereirense, piense, pintadense, porchense, quarteirense, quelfense, ramalhense, rogilense, sagrense, sismariense, soalheirense, terenense, tojalense, tunense, vaqueirense, vermoilense, vialonguense, vilamourense, zambujeirense,  zibreirense?

 

[Texto 15 025]

Léxico: «juiz natural | juiz legal»

As pernas e o resto

 

      «Segundo Ivo Rosa, em causa está a eventual violação do princípio do juiz natural ou juiz legal» («Inquérito aberto à distribuição do processo Operação Marquês», Diário de Notícias, 27.04.2021, p. 32).

      Se isto, que aparece na imprensa, não está nos dicionários, para onde é que o pobre falante se pode virar? É que nem todos têm um Chico Três-Quartos à mão.

 

[Texto 15 024]

Léxico: «correr termos»

Até as pernas lhes tremem

 

      «“A certidão em referência deu origem a um inquérito que corre termos no DIAP de Lisboa”, respondeu esta segunda-feira a Procuradoria-Geral da República à agência Lusa» («Operação Marquês. PGR confirma abertura de inquérito à distribuição inicial do processo», Rádio Renascença, 26.04.2021, 20h04).

      Claro que o pobre falante fica logo com as pernas a tremer ao ler ou ouvir estas expressões herméticas, pois que nem nos dicionários as encontra.

 

 

[Texto 15 022]

Catar, o país

Usa-se cada vez mais

 

      «Órfãos de títulos, os magpies estão loucos para se tornar um “clube árabe” como os cada vez mais poderosos Manchester City (Emirados Árabes Unidos) ou Paris Saint-Germain (Catar). E Salman, enciumado com o sucesso dos países vizinhos no futebol europeu, idem» («Príncipe saudita exige Newcastle a Boris Johnson», João Almeida Moreira, Dinheiro Vivo, 26.04.2021, 9h34).

 

[Texto 15 021]

À volta de «chaimite»

Como podem

 

      «Cientes da importância de passar o testemunho, alguns destes jovens trazem já os filhos pequenos e explicam, às vezes como podem, o que se está a passar. Um deles aponta para a frente do desfile e explica, com a melhor vontade mas escassa pontaria: “Vês, filho, é o trator do 25 de Abril.” Era a chaimite» («E, de novo, os cravos floriram na Avenida», Maria João Martins, Diário de Notícias, 26.04.2021, p. 7).

      Vamos encontrá-la no dicionário da Porto Editora, a chaimite ou o chaimite. Talvez devessem acrescentar «por vezes em maiúscula». Vezes que não me surpreendia que constituíssem a maioria. E porquê? Porque é uma marca registada, logo, um nome próprio. A nota etimológica diz isto: «De Chaimite, povoação moçambicana». Tinha de dizer isto: «De Chaimite®, marca registada da BRAVIA – Sociedade Luso-Brasileira de Viaturas e Equipamentos, S. A. R. L.» Se quisessem subir de nível, seria assim: «De Chaimite®, marca registada da BRAVIA – Sociedade Luso-Brasileira de Viaturas e Equipamentos, S. A. R. L., e esta do nome da povoação moçambicana em que foi aprisionado, no século XIX, Gungunhana, rei dos Vátuas». De caminho, repito — da outra vez não terei sido suficientemente claro — que não faz absolutamente nenhum sentido aporem o símbolo ® à frente de um nome comum, como fizeram, por exemplo, com «ambu». Se está com minúscula, é por derivação imprópria, logo, já não é um nome próprio, marca.

 

[Texto 15 020]