Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «janela de aranha»

É este o nome

 

      «“Tudo o que era sacadas, bancos de pedra, janelas de aranha, muito típicas, medievais, que tinham estruturas de ferro que saíam para a rua... tudo isso foi retirado do espaço público para que o trânsito fluísse mais facilmente”, concretiza [Delminda Rijo, historiadora do Centro de Estudos Olisiponenses, especialista em demografia histórica]» («Como se tentou gerir o caos no trânsito no início do século XVII», Sofia Fonseca, Diário de Notícias, 26.04.2021, p. 18).

      Mas não se vêem ainda janelas destas em prédios antigos? Ainda recentemente vi um prédio em Cascais com estas janelas de grades salientes, arredondadas, bojudas, na parte inferior, para os moradores se poderem debruçar e ver bem o exterior junto ao prédio. Ontem tentei localizá-lo, mas não consegui. Quando isso acontecer, publicarei aqui uma fotografia.

 

[Texto 15 039]

Léxico: «martins»

Metade está certo

 

      «“Volta livre para Tkachev [passar de costas por cima do banzo em posição encarpada com as pernas afastadas], rotação de 180º, agarrando o banzo superior das paralelas, seguido de passagem com meia volta para o banzo inferior.” Confuso? É natural. Para o cidadão comum, falamos de uma loucura. Na bitola das paralelas assimétricas, trata-se de criatividade e singularidade ao extremo e só ao alcance da elite. Esta rotina tem, agora, nome português – e bem português. Senhoras e senhores, este é o “Martins”, elemento inédito que pôs Portugal na nata da ginástica artística feminina» («“Martins”: a ginástica suprema também já se escreve em português», Diogo Cardoso Oliveira, Público, 29.04.2021, 7h45).

      Nada de confuso, Diogo Cardoso Oliveira, mas «meia-volta» leva hífen, erro em que caem nove em cada dez escreventes. Mas agora penso: não se devia escrever tkachev, martins, etc.? Acho que sim. Aquele «já se escreve em português» é para ser levado à letra — são nomes comuns. (Lá continua «ambu», nome comum, com a marca registada... Erro!) E a Porto Editora devia autonomizar esta acepção de banzo no respectivo verbete.

 

[Texto 15 038]

Léxico: «cintagem»

Serão muitas centenas

 

      «A arquiteta Ana Costa [neta de Cottinelli Telmo] admite que esse foi o maior desafio desta obra de remodelação. “Foi muito complicado, tivemos que ir ao fundo, à base deste edifício – que está todo em cima de estacas – e fazer a cintagem destes pilares de mármore, sem eles “engordarem” e perderem a escala. Foi uma guerra para responder às emergências anti-sísmicas e de reforço estrutural. Estive aqui a bater-me pelo desenho, para não deixar mais 1 ou 2 centímetros (como acontece muito nas obras) porque aqui tem importância”» («Estação Sul e Sueste no Terreiro do Paço renascida, aos 90 anos», Ana Carrilho, Rádio Renascença, 29.04.2021, 12h40).

      Destas, que se usam efectivamente, faltam centenas em todos os dicionários sem excepção. «Queria pesquisar contagem, tintagem

 

[Texto 15 037]

Léxico: «bezeira»

Porque é essencial

 

      «E guiadas pela cadela, a Campeã, as cerca de 200 cabras seguem pela encosta da Serra do Gerês. A ideia de partilhar e mostrar a vida da aldeia do Outeiro partiu do casal Fernanda e Miguel Martins. Nasceram aqui, foram pastores, aos 19 anos emigraram e quase duas décadas passadas, decidiram regressar. Abriram um restaurante e um alojamento local. “Andava na bezeira, fui pastor dos 11 até aos 19 anos, quando fui para Inglaterra. Não via aqui grande futuro, era uma vida escrava... ser pastor não é uma vida fácil, por isso hoje em dia ninguém quer ser pastor! Com estas caminhadas também queremos mostrar às pessoas, sobretudo aos mais novos, que o cabrito é barato... quando reclamam do preço nos restaurantes, como nos acontece, ao verem o trabalho que dá talvez deem outro valor. Também para o pastor pode ter outra forma de rentabilizar a sua vida e não andar tão sozinho... é uma vida de solidão”» («“Uma vida escrava.” Ser pastor por um dia», Rute Fonseca, TSF, 30.04.2021, 8h33).

      Estamos cá para registar também as variantes, quaisquer que elas sejam, ou muitos falantes não saberão do que se trata.

 

[Texto 15 036]

Definição: «denso»

Não chega

 

      «“O nosso projeto visa aperfeiçoar ou densificar o que hoje já existe na lei desde 2019, além de introduzir uma melhoria ao nível da sistematização. Uma melhoria da sistematização, por exemplo, transpondo tudo aquilo que se encontra atualmente numa amálgama para um artigo autónomo, mas retomando aquilo que já se encontra em vigor”, declarou a vice-presidente da bancada socialista Constança Urbano de Sousa» («PS agrava para cinco anos pena de prisão por ocultação intencional de enriquecimento», Rádio Renascença, 29.04.2021, 13h33).

      O problema não está tanto na definição do verbo densificar, mas antes na definição de denso, que em pouquíssimos dicionários se pode dizer que esteja perceptível. No dicionário da Porto Editora apenas se diz que, neste sentido figurado, significa «intenso; profundo». Não chega.

 

[Texto 15 035]