Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Pontuação e intuição, amigas improváveis

Então não

 

      Não sei quem foi o responsável pela mais recente campanha de publicidade da Super Bock. Sei que precisa de conhecer melhor e aplicar as regras da pontuação: «Amigos amigos, cervejas à parte». É mais um com o mesmo argumento que já ouvi, e que é simplesmente para rir: «Ah, eu não percebo nada de gramática, mas vou lá pela intuição.» Pois, pois... Amigos, amigos, negócios à parte.

 

[Texto 15 072]

Léxico: «tubarão-gato-listrado»

Sem desculpa

 

      «No entanto, a descoberta mais impressionante foi outra: enganar um tubarão-gato-listrado» («A incrível vida de um polvo», Vanda Marques, Sábado, 8.04.2021, p. 71).

      É o Poroderma africanum, um tubarão do oceano Atlântico, que podemos encontrar no Oceanário de Lisboa, mas não no dicionário da Porto Editora.

 

[Texto 15 071]

Léxico: «republiqueta»

De novo Bolsonaro

 

      «Depois de Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, garantir que “o sistema de voto em urna eletrónica é totalmente confiável”, Jair Bolsonaro reagiu: “A única republiqueta do mundo que aceita essa porcaria desse voto eletrónico é a nossa. Tem de ser mudado”» («A ameaça de Bolsonaro: “Se não houver voto impresso não vai haver eleição”», Expresso, 7.05.2021, 9h49). Porto Editora, onbeduidend republiekje.

 

[Texto 15 070]

Imperativo negativo

Não é uma pergunta

 

      «Não vos riais da sua fraqueza» (Obras Completas de Rui Barbosa. Rio de Janeiro: Ministério de Educação e Saúde, 1948, p. 27).

      Não está aqui ninguém a rir-se, mas também não posso calar-me quando leio assim: «Não vos rides de mim.» Então o imperativo não vai buscar pessoas ao presente do conjuntivo? Sim, excepcionalmente, em certos casos, também usa formas do presente do indicativo. Quando a minha filha era pequena, e agora com o Ripitchip, o meu gato, é assim: «Não mexe aqui.» Em português, tudo isto é possível, mas não de qualquer maneira.

 

[Texto 15 069]

Léxico: «dagordense»

Agora vou descansar

 

      A população dagordense está expectante com a entrada no dicionário da Porto Editora, mas em A-da-Gorda vão ter de aguardar um pouco mais, e será, desta vez, a Porto Editora a prosseguir o trabalho, porque temos agora a papinha toda feita no Portal Nacional dos Municípios e Freguesias, aqui. Agora sim, é um TPC para mais tempo, e já não o acompanharei.

 

[Texto 15 068]

Léxico: «caralhada»

É forte, mas...

 

      É forte logo para uma segunda-feira de manhã, mas tem de ser, porque alguém se esqueceu de fazer o trabalho. «De vez em quando houve-se [sic] uma caralhada ou um foda-se, mas a fila mantém-se, cada homem não perdendo o contacto com o que segue à sua frente. Aqui, como na maior parte das coisas da vida, é assim – um guia e todos atrás» (Contagem Decrescente, Nogueira Baptista. Lisboa: Paz, 2004, p. 271). ​«Queria pesquisar baralhada, canalhada

 

[Texto 15 067]