Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «tapedeira»

Estão na rua

 

      No fim-de-semana passado, em Arraiolos, os tapetes voltaram às ruas. Viam-se tapedeiras pelas ruas a trabalhar ao vivo. Isso mesmo disse e redisse o repórter Amílcar Cabral da TVI no Jornal da Uma de sábado, tapedeiras. Trata-se, tanto quanto sei, de um localismo, de um termo usado apenas ali, mas que, se dicionarizado, apenas irá enriquecer o nosso léxico. Seja como for, é ali que, graças à ordem (agora já sabem que é «edicto») de expulsão de judeus e muçulmanos, se encontra o nosso mais importante centro de confecção de tapetes.

 

[Texto 15 235]

Léxico: «cruzeirista»

São aos milhares

 

      Mas não nos dicionários: «Para a passagem de 2019 para este ano horribilis, foram 13 os navios que vieram dar aos seus cruzeiristas o privilégio de ver aquele que já foi detentor do recorde de maior fogo de artifício do mundo (de 2006 para 2007), mas que ainda assim continua a ser dos mais espectaculares e reconhecidos, originando por isso uma procura dos navios de cruzeiro, a maioria só vem mesmo para aqueles minutos de luz, cor e som das explosões de pirotecnia» («Fim de ano no Funchal terá apenas um ou nenhum navio de cruzeiro», Francisco José Cardoso, Diário de Notícias da Madeira, 27.11.2020, 15h17). Na quarta-feira da semana passada, de manhã, também a ouvi na Antena 1.

 

[Texto 15 234]