Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Sobre «mesto»

Funesto

 

      A palavra do dia, na Infopédia, é mesto, «poético que causa tristeza; lúgubre; triste». Está muito bem, porque vocábulos mais fora de circulação devem ser periodicamente relembrados. Só subsiste um mistério: porque nos manda ver também (mas somente na versão segundo o Acordo Ortográfico de 1990) o termo «causa»? Qual a relação?

 

[Texto 15 385]

Léxico: «interruptibilidade»

«Queria pesquisar “incorruptibilidade”?»

 

      «Num momento em que os grandes industriais esperam e desesperam por conhecer a medida com que o Governo tenciona substituir o serviço de interruptibilidade, que acaba a 31 de Outubro, o incidente com a rede eléctrica veio mostrar, segundo a Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Consumidores de Energia Eléctrica (APIGCEE), que o seu fim terá “consequências” para o país» («Industriais queixam-se de “incertezas” e “alheamento” do Governo», Ana Brito, Público, 28.07.2021, p. 23).

 

[Texto 15 384]

Léxico: «sidreiro»

É só ter olhos e ouvidos

 

      «A bebida feita (não só) das maçãs vive um bom momento em Portugal, com produtores dispostos a resgatar a nossa tradição sidreira a partir de variedades nativas» («A hora da sidra», Rafael Tonon, «Revista E»/Expresso, 9.04.2021, p. 77).

      Se calhar queriam que os industriais do ramo fossem pedir autorização aos linguistas. Ou então, como há quem — tradutores, jornalistas, etc. — confunda «cidra» com «sidra», talvez não se importassem que eles usassem cidreira.

 

[Texto 15 383]

Léxico: «nasofaringolaringoscopia»

Exame que não passaste

 

      Porto Editora, repete lá esta palavra sem gaguejares: «O exame físico realizado pelo otorrinolaringologista é essencial permitindo o rastreio e deteção destes tumores, podendo ser complementado por endoscopia para observação do nariz, faringe e laringe (nasofaringolaringoscopia) ou exames de imagem (tomografia computadorizada e ressonância magnética), assim como a realização de biópsia de alguma lesão suspeita» («Cancro da cabeça e pescoço: o cancro que se vê!», Joana Guimarães, «JN Classificados»/Jornal de Notícias, 28.07.2021, p. 1). Como castigo, tens de a escrever, não cinquenta vezes, mas apenas uma: dicionariza-a.

 

[Texto 15 382]

Léxico: «electrointensivo»

Pura energia

 

      «Os consumidores electrointensivos salientam que metade da potência suprimida pela REN na tarde de sábado (400 MW) resultou do desligamento de instalações de todos os associados da APICGEE (18 de 23 instalações)» («Industriais queixam-se de “incertezas” e “alheamento” do Governo», Ana Brito, Público, 28.07.2021, p. 23).

 

[Texto 15 381]

Léxico: «fogachada»

Azar o nosso

 

      «Se os maçaricos tivessem ouvido aquilo antes, talvez se julgassem na iminência de uma emboscada (muitos pensavam, coitados, que os “turras” avançavam como os índios do cinema) e fariam uma bela fogachada... ainda agora, alguns olhavam em volta, desconfiados» (O Canto dos Fantasmas, João Aguiar. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1990, p. 152).

      Até me parece que não há quem tenha estado na Guerra Colonial e não use, na escrita ou na oralidade, o termo fogachada. Nos dicionários? Nada de nada. Oh, azar do catano.

 

[Texto 15 380]

Léxico: «hipsterismo»

Homenzinhos de bigode

 

      «A não ser que haja um surto de hipsterismo, os bigodes já não entram na Seleção, a FPF é hoje uma máquina bem oleada e profissional e a guerra Benfica-Porto fica às portas da cidade do futebol» («Aqueles homenzinhos de bigode», Bruno Vieira Amaral, «Revista E»/Expresso, 16.06.2021, p. 10).

      Já está nos dicionários... italianos: «hipsterismo s. m. Tendenza a mostrarsi ricercati e controcorrente nell’aspetto esteriore, come reazione individualista alle mode convenzionali» (in Treccani).

 

[Texto 15 379]