Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «mocano | buxo-da-rocha»

Como os gendarmes

 

      «Em Portugal, o mocano [Pittosporum coriaceum], que só existe na Madeira, o cedro-da-madeira, o buxo-da-rocha, o loureiro-de-portugal e o marmulano são as que mais causam preocupação. [...] Esta é uma das mais de 100 espécies de árvores selvagens em Portugal, das quais nove estão sob ameaça, incluindo quatro que, para além do mocano, causam maior preocupação: o cedro-da-madeira, o buxo-da-rocha [Chamaemeles coriacea], o loureiro-de-portugal e o marmulano» («Metade das espécies de árvores selvagens do planeta estão em risco de extinção», TSF, 1.09.2021, 13h55).

      (Quanto à co-homologia motívica, Porto Editora, os nossos leitores vão continuar a saber tanto como os tais gendarmes franceses.)

 

[Texto 15 426]

Léxico: «mu»

Do alfabeto grego

 

      «A Organização Mundial da Saúde (OMS) está a acompanhar uma nova variante do novo coronavírus identificada pela primeira vez na Colômbia, em janeiro, e que foi designada de “Mu”. [...] “Mu” é a 12.ª letra do alfabeto grego. Atualmente, existem quatro “variantes de preocupação”, entre as quais a Alpha (presente em 193 países) e a Delta (em 170)» («Nova variante da Covid-19 chama-se “Mu”», Marta Grosso, Rádio Renascença, 1.09.2021, 11h06).

      Na verdade, Marta Grosso, e isto tanto vale para a variante como para os nomes das letras, é alfa, delta e mu. A Porto Editora regista esta acepção de mu, mas remete para mi, variante, verbete em que dá a definição: «nome da décima segunda letra grega (µ, Μ), correspondente a m». Eu, porém, defini-la-ia assim: «nome da décima segunda letra do alfabeto grego (µ, Μ), correspondente a m». E faria a mesma alteração em todas as letras.

 

[Texto 15 424]

Léxico: «astródomo»

Nem precisam de desculpas

 

      Outra palavra que não encontramos no dicionário da Porto Editora — mas com que topamos depois em dois dicionários bilingues — é astródomo, mas parece que até hoje ninguém deu por isso. Acabei de a usar numa tradução. Afinal, não estou a ver por que diabo iria eu escrever «Astrodome de Houston». Pois, há quem o faça...

 

[Texto 15 423]