Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «vídia»

Pratiquem lá a lusofonia

 

      Precisei de uma broca para cimento, alvenaria, e, sabes que mais, Porto Editora? Também no Brasil há diferenças nisto. Claro, «cimento» é lá «concreto», mas isso toda a gente sabe. O que poucos sabem cá: a estas brocas dá-se no Brasil o nome de brocas de vídia. (Comprova-o no Michaelis ou no VOLP da Academia Brasileira de Letras.) O termo deriva do alemão Widia, cunhado da expressão «wie Diamant», «[duro] como diamante», que deu nome ao produto inventado pela Krupp. Reconhecem-se de imediato pela ponta, semelhante a uma ponta de flecha, uma espécie de aletas, com diâmetro maior que o seu corpo helicoidal, para evitar o travamento durante a perfuração.

 

[Texto 15 723]

vídia.png

Léxico: «gogar | olárico»

Foram apenas segundos

 

      Só ouvi um niquinho, segundos, quando entrei no carro, ontem de manhã. Na TSF, passavam uma reportagem em que entrevistavam um artesão (um dos últimos?) que produz peças de louça preta em Bisalhães, Vila Real. A determinada altura, explicou em que consistia gogar a peça: é bruni-la com recurso a um seixo do rio, ou gogo. Para saber mais, temos de visitar aquele centro olárico.

 

[Texto 15 722]

gogar.png

Léxico: «aurinegro»

Só problemas

 

      Já foram identificados treze casos da variante ómicron em Portugal, o que é também mau porque boa parte dos jornalistas da rádio não sabem pronunciar a palavra. Também não é de admirar, já que muitos também não pronunciam correctamente o topónimo Setúbal. Falhas no ensino básico. Avancemos nós. Depois de auriverde, Porto Editora, temos aurinegro: «Bor. M’gladbach-Dortmund: aurinegros não querem deixar escapar Bayern e Wolfsburgo» (Record, 23.09.2021, 17h42). «Queria pesquisar alinegro, alvinegro, caurineiro, tutinegro

 

[Texto 15 721]

Léxico: «elevador social»

Muito recomendável

 

      Não são apenas os hodiernos descendentes ou representantes do gil-vicentesco Joane que não saberão o que é o elevador social — e não passa agora uma semana sem que ouçamos a expressão. Quanto mais depressa for dicionarizada, melhor.

 

[Texto 15 720]