Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «barranquenho»

É a oportunidade

 

      «Presidente da República promulgou o diploma sobre o reconhecimento e proteção do barranquenho e da sua identidade cultural, foi divulgado este domingo no portal da Presidência» («Marcelo promulga diploma sobre o reconhecimento do barranquenho», TSF, 19.12.2021, 17h06). A pergunta que se impõe neste momento é se se trata, como afiançam todos os dicionários, de um dialecto ou, como garantem alguns linguistas, de uma língua. Está aqui uma excelente oportunidade para se voltar a reflectir na questão e para se redigir uma definição mais completa.

 

[Texto 15 795]

Léxico: «intracorpóreo»

Só o antónimo

 

     Os dicionários só acolhem o antónimo, vá-se lá saber porquê: «“Existem outros dispositivos de assistência cardíaca, mas o ‘HeartMate’, sendo portátil e intracorpóreo, permite ao doente ter uma capacidade funcional e autonomia próximo do normal”, afirma, citado na nota de imprensa, o diretor do serviço de CCTOT, David Prieto» («Centro Hospitalar de Coimbra implantou o primeiro “coração artificial”», TSF, 20.12.2021, 18h14).

 

[Texto 15 794]

Léxico: «diofantino | diofântico»

Vamos ver se se confirma

 

      Pois, ainda não está tudo descoberto, nem na língua nem na matemática. «Em declarações à TSF, Rudolfo A-Nieves Rivas explica o problema: “Se existe um padrão ou uma regularidade, uma harmonia nos números primos, encontrei uma equação diofantina que permite determinar de forma precisa e exata e contá-los a todos e a cada um e isso está vinculado a esta hipótese.”» («Hipótese de Riemann, um dos “problemas do milénio”, terá sido resolvida na Venezuela», TSF, 20.12.2021, 7h11).

 

[Texto 15 793]

Léxico: «charriô»

Outro clandestino bem presente

 

      Na imagem em baixo, temos um charriô em segunda mão de um Smart Fortwo. Não há mecânico que não saiba do que se trata — e é por este mesmo nome que o conhece. Entretanto, há outro objecto a que se dá o mesmo nome e é algo completamente diferente e, o que é mais, está na moda: aqueles cabides, muitas vezes com rodas, para pendurar a roupa, na entrada de casa ou num quarto. Não há empregado do Leroy Merlin ou influenciador ligado à moda que não saiba do que se trata e não o conheça por este nome. Nos dicionários? Nada.

 

[Texto 15 792]

charriô.png