Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Crise de vírgulas, ou falta de revisão

Só nas áreas metropolitanas

 

      Alguém tem de pôr os Russos no seu lugar. Por cá, essa nobre tarefa coube ao Correio da Manhã, que, numa infografia sobre a população portuguesa, põe 1320 milhões de habitantes na área metropolitana do Porto e 2986 milhões na área metropolitana de Lisboa («Quem somos nós?», infografia de Ana Kaiseler, «Domingo»/Correio da Manhã, 17-23.04.2022, p. 34). Depois disto, só falta os CTT emitirem um selo: «Exército russo, vão-se ****.»

 

[Texto 16 184]

Léxico: «decrescentismo | decrescentista»

Sem palavras, não vamos longe

 

      Na segunda-feira, na RTP2, num documentário, entrevistaram o cirurgião Hans Eickhoff, que vive em Portugal há trinta anos. E como foi apresentado? «Hans é um decrescentista.» Anda de bicicleta e em transportes públicos (o que pudemos ver), quase não se desloca em carro próprio, vai às compras com sacos de papel ou de pano para evitar embalagens de plástico, compra electricidade a uma cooperativa de energia renovável, etc.

 

[Texto 16 183]

Léxico: «urbicídio | urbicida»

Em contexto de guerra

 

      «E se Odessa, este concentrado de civilização, de cultura e de beleza, ocupasse no imaginário do megasniper Putin o mesmo lugar que Sarajevo, outrora, no de Milosevic e de outros Mladics? Raiva contra as cidades e o que elas representam. Furor urbicida» («Oração por Odessa», Bernard-Henri Lévy, tradução de Jorge Pereirinha Pires, «Revista E»/Expresso, 1.04.2022, p. 35).

 

[Texto 16 182]

Léxico: «lança-cabos | navio lança-cabos»

Uma destas noites

 

      Numa rádio espanhola falavam dos vários tipos de telefones fixos que houve em Espanha. A determinada altura, falaram também nos navios cableros, os navios que estendem os cabos submarinos para cruzar os mares. Pensei que em português se dissesse navio-cabeiro e, efectivamente, pelo menos em diplomas legais brasileiros encontro o termo. Nos nossos dicionários, porém, nada. Uma boa pista é saber-se que em inglês é cable ship ou cable layer. É que, assim, já vamos parar ao Dicionário de Inglês-Português da Porto Editora, onde, no verbete cable, encontramos exemplos de uso tirados da Base Terminológica da União Europeia. Lá está: cable ship, lança-cabos. E pronto, daqui comprovamos noutros lugares que se usa a locução navio lança-cabos. Já se vê o que falta fazer.

 

[Texto 16 181]

Léxico: «faceta»

Aliás, faltam duas acepções

 

      «O que é uma faceta dentária? São finíssimas lâminas em cerâmica, ou compósito, semelhantes a capas que permitem corrigir imperfeições e a cor dos dentes naturais, aderidas à parte mais externa do dente. As facetas são a solução ideal para dentes escurecidos, desgastados e mal posicionados, quando outros tipos de tratamentos não estão indicados» («Sorriso Hollywood», Ana Mexia, médica dentista, Revista Saúda, Março de 2022, p. 26).

 

[Texto 16 180]

Tradução: «sous-sol»

Se quiserem

 

      Está bem, façam como entenderem, mas, quando ouço a pessoa dizer que viveu «dans un sous-sol transformé en abri» e o intérprete diz que foi no «subsolo», a verdade é que não me posso esquecer que no Dicionário de Francês-Português da Porto Editora é só essa a tradução de sous-sol que dão. Sendo assim...

 

[Texto 16 179]