Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «polje | espeleotema»

Sem pai nem mãe

 

      «Polje de Minde. Também conhecido por mar de Minde (FOTO 2), ocorre em períodos de muita precipitação, quando as galerias subterrâneas desta zona atingem a capacidade máxima de retenção de água e a deixam derramar para a superfície, alagando o planalto entre Minde e Mira de Aire. [...] Mesmo sendo efémero, este polje — depressão calcária inundável — atrai muitas aves aquáticas, tais como diversas espécies de patos, incluindo o real, galinhas de água e galeirões e também há registo da presença de enguias, de cobras de água, de salamandras e tritões» («Quando a água brota da terra», João Paulo Galacho, «Revista E»/Expresso, 29.04.2022, p. 74).

      Polje até está no dicionário da Porto Editora, mas, a meu ver, a definição é só para especialistas: «GEOGRAFIA grande depressão fechada, de fundo mais ou menos plano, característica de regiões de relevo cársico». E não deviam indicar a etimologia? Se querem agora uma palavra que ainda não tenham, e da mesma área, ei-la do meu baú: espeleotema.

 

[Texto 16 256]

Léxico: «alto-funcionário»

Cada vez mais

 

      Cada vez se vê mais assim: «Depois de Nova Iorque, Soares viajou até Washington, tendo sido recebido, a 3, pelo embaixador George Landau, diretor do desk para Espanha e Portugal do Departamento de Estado. Este alto-funcionário da Administração de Richard Nixon apressou-se a telefonar ao embaixador de Portugal, para o tranquilizar. Landau, que servira na embaixada dos EUA em Madrid, “era muito amigo do embaixador Garin”, confirma Milton Moniz, que acentua o facto de o Departamento de Estado “ter necessariamente conhecimento da ida de Soares aos EUA, uma vez que a embaixada em Lisboa tivera de lhe dar o indispensável visto”» («“Soares ao pelotão!”», José Pedro Castanheira e Raquel Albuquerque, «Revista E»/Expresso, 14.04.2022, p. 29).

 

[Texto 16 255]