Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «asana | ioga»

Tudo a dois

 

      Bem sei, Porto Editora, que registas ássana, cada uma das posições corporais da ioga, mas há dicionários — e bem — que acolhem asana e ássana. Estão no certo, como dizem os nossos irmãos Galegos. Mais: nunca eu atribuo o género masculino a ioga. Para mim, é sempre feminino, a ioga. Ora, tu fazes o contrário. Temos é de ver que alguns dicionários e vocabulários o registam como dos dois géneros, e são estes que acertam, pois é também o que se observa desde sempre no dia-a-dia.

 

[Texto 16 359]

Léxico: «halicina»

Uma homenagem

 

      «Com quatro exemplos, os autores de “A Era da Inteligência Artificial – E o Nosso Futuro Humano” dão-nos mais do que especulações sobre os softwares de IA que pensam e aprendem sozinhos enquanto estão a processar: o programa de xadrez AlphaZero ultrapassou tudo aquilo que seriam as capacidades humanas para pensar o jogo, de tal forma que “abalou os fundamentos” do xadrez, comentou o campeão Garry Kasparov; outro programa descobriu um novo antibiótico, a halicina (o nome vem de Hal, o computador de “2001, Odisseia no Espaço”) de uma forma que seria impossível ou improvável para a mente humana; aviões de caça pilotados por IA têm desempenhos superiores aos pilotados por humanos; e temos ainda a inteligência complexa do GPT3, porque não estamos na zona do raciocínio em linhas fechadas dos xadrezistas, mas no campo aberto do pensamento, que gera respostas em pequenos ensaios filosóficos» («IA: o novo nuclear», Vítor Matos, «Revista E»/Expresso, 27.11.2021, p. 50).

 

[Texto 16 358]

Léxico: «suetoniano»

Da Antiguidade aos nossos dias

 

      Então, para variar (e me sentir influenciador por um dia), hoje vamos falar de outra coisa. Capas de telemóvel, por exemplo. Uso há muito, e recomendo, as capas da Pitaka. Há melhores? Não conheço. Mas está bem, este é um blogue apenas sobre a língua. Cá vai: «Della Corte 1967, 165-90, aponta como critério suetoniano de avaliação dos príncipes a atitude para com a classe a que Suetónio pertencia: os cavaleiros. Esta teoria é refutada por Gascou 1976, 735-40» (Arqueologias de Império, Delfim Leão, ‎José Augusto Ramos, ‎Nuno Simões Rodrigues (coords.). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2019, p. 322).

 

[Texto 16 357]

Léxico: «zafu»

Tofu, bidu, chabu, bangu

 

      E a propósito de ioga, de que dentro de meia hora falarei: vejo aí à venda em várias lojas (por exemplo, na Decathlon) e leio em livros, a almofada de meditação designada zafu (do japonês 座蒲). Bem, é verdade que nem todos os praticantes de ioga prescindem também do bolster, a almofada redonda e comprida, usada sobretudo em posturas restaurativas.

 

[Texto 16 356]

Léxico: «cantaroleiro»

Foi assim

 

      «Um bando de cegonhas, a tocar castanholas com os bicos, apareceu no horizonte e aproximou-se. Logo mais atrás, as andorinhas e os pássaros cantaroleiros regressavam do sul, em grandes bandos, enquanto pelos campos se entornavam cores, como se nos bicos da passarada viessem pintores com as suas paletas» (A Vida Mágica da Sementinha, Alves Redol. Alfragide: Editorial Caminho, 17.ª ed., p. 62). Os famigerados cantaroleiros do PCP, não é? Ah, não, esses eram os controleiros, os únicos que o dicionário da Porto Editora conhece.

 

[Texto 16 355]

Léxico: «nanofibrila»

Só parecidas

 

      «A investigação foi desenvolvida no âmbito do projeto “FilCNF: Nova geração de filmes compósitos de nanofibrilas de celulose e partículas minerais como materiais de elevada resistência mecânica e propriedades de barreira a gases”, financiado em 190 mil euros pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER)» («Cientistas de Coimbra desenvolvem novo material que pode substituir o plástico», Rádio Renascença, 23.05.2022, 11h37).

 

[Texto 16 354]