Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «águia-marinha», entre outras

Ela sabe que não

 

      «— Dama, que triste canto, tão triste como o da águia marinha! Pois não se diz que a águia marinha canta para anunciar a morte? Por certo a minha morte o vosso lai anuncia; porque morro de amor por vós!» (O Romance de Tristão e Isolda, renovado por Joseph Bédier. Tradução de Aníbal Fernandes. Odivelas: Sistema Solar, 2017, p. 150). A Porto Editora há-de pensar que eu queria dizer água-marinha, porque é essa que regista... Mas não, porque a águia-marinha vamos encontrá-la num bilingue. Acontece. Muito. E depois temos também a águia-marinha-de-barriga-branca, a águia-marinha-de-rabo-branco, a águia-marinha-de-barriga-castanha, a águia-marinha-de-sanford, a águia-marinha-de-madagáscar, a águia-marinha-gigante...

 

[Texto 16 364]

Léxico: «sondário»

Pelo menos no Brasil

 

      Aqui há umas semanas, vi na RTP1 uma reportagem sobre o Museu do Lactário (pertencente à Fundação Aboim Sande Lemos). Sim, lactário está no dicionário da Porto Editora: «estabelecimento onde se fornece leite gratuito às crianças pobres». O que não regista é sondário, que, pelo menos no Brasil, andavam a par, pois este é o local onde são preparadas as papinhas para crianças desnutridas.

 

[Texto 16 363]

Léxico: «adelfeira | adelfeiral»

É outra

 

      «Na serra de Monchique subsiste uma planta rara, a adelfeira, considerada uma ‘relíquia’ por testemunhar o clima subtropical que ali existiu e cujo habitat está a ser regenerado. Projeto ‘Life-Relict’, coordenado pelo professor Carlos Pinto Gomes, da Universidade de Évora, promove a conservação da espécie através da recolha de sementes, depois multiplicadas em Espanha e plantadas» («Projeto para conservar planta rara na serra», Correio da Manhã, 23.05.2022, p. 29). O dicionário da Porto Editora acolhe uma adelfa/adelfeira, só que não é a mesma: «BOTÂNICA (Nerium oliander) arbusto da família das Apocináceas, venenoso, muito ramoso, de folhas lanceoladas e grupos de flores róseas, brancas, vermelhas ou amarelas; loendro». E antes da pandemia realizou-se em Monchique a II Jornada Técnica sobre a Valorização e Gestão dos Adelfeirais Mediterrânicos. Esta adelfeira tem o nome científico Rhododendron ponticum (subsp. baeticum).

 

[Texto 16 362]

Léxico: «metaneiro»

Os petroleiros e os outros

 

      «Os dados de navegação em tempo real da plataforma Vessel Finder mostram que às 10h o navio metaneiro [Vladimir Vize], oriundo do porto russo de Sabetta [península de Iamal], e com bandeira de Hong Kong, estava a menos de 50 milhas náuticas de Sines» («Primeira importação portuguesa de gás russo depois da invasão da Ucrânia já está ao largo de Sines», Expresso, 4.03.2022 10h09).

 

[Texto 16 360]