Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «babordo | boreste»

Uma riqueza desprezada

 

      Detenhamo-nos no termo bombordo e na sua etimologia. Provém do neerlandês bakboord, «coberta posterior», de bak, «atrás» + boord, «bordo». Podia pensar-se que o termo castelhano, babor, está mais próximo do étimo, mas isso apenas se desconhecermos que em português também se diz babordo, o que alguns dicionários, como o da Porto Editora, omitem. (Como também existe o termo cisbordo como sinónimo de estibordo, no Brasil igualmente conhecido como boreste.)

      «El barco pesquero Lumián, un volantero francés de armador coruñés, volcó ayer sobre el costado de babor en Burela, cuando era izado al varadero para realizar labores de mantenimiento. Es la segunda vez que el buque sufre un incidente similar, ya que en el 2019 volcó también en la dársena de Oza, en A Coruña» («Vuelca un barco en el varadero», La Voz de Galicia, 6.04.2022, p. 31).

 

[Texto 16 450]

Léxico: «trefina»

Só porque sim

 

      «Após uma operação, em que teria sido utilizada uma trefina (instrumento cirúrgico que servia para fazer orifícios nos ossos, incluindo o crânio), Gilbert entrou em delírios e, num desses ataques, engoliu uma chave, que o sufocou, matando-o com apenas 29 anos, em Novembro de 1780 (seis anos depois de Luís XV, que falecera em 1774)» («A Fada Verde», João Pedro George, Sábado, 8-15.06.2022, p. 80). Trépano está no dicionário geral; trefina, no Dicionário de Termos Médicos. Só porque sim.

 

[Texto 16 449]

 

Léxico: «biomorfo»

Biomorph, em alemão...

 

      «Passado algum tempo, assistiu a uma palestra de um atual colaborador deste projeto investigativo, Mark VanZellen, especialista nos primórdios da Terra e da Vida, que “falava sobre biomorfos, que são estruturas formadas através de mecanismos não vivos no registo da rocha e que mimetizam a estrutura do que chamamos microfósseis”» («Era uma vez… uma outra origem da vida?», Vanessa Rodrigues, Observador, 23.03.2022, 20h24).

 

[Texto 16 448]

Léxico: «alambor | talude»

Alambor talude

 

      Conforme me comunica o leitor Afonso Costa, de alambor também se tem de remeter para talude. É o que faz, e bem, o Dicionário de Arquitectura Militar, de António Lopes Pires Nunes (Casal de Cambra: Caleidoscópio, 2005), que define assim talude: «Também denominado jorramento. Reforço da muralha ou dos torreões, na sua parte inferior, de forte inclinação, para manter mais afastados os engenhos de assalto e os próprios assaltantes, tornando-os alvos mais fáceis, ao mesmo tempo que dificultava os trabalhos de sapa e a abordagem da fortaleza. Quando o seu perfil é uma linha quebrada, o talude toma o nome de ressalto» (p. 225).

 

[Texto 16 447]

Léxico: «terminalidade»

Podes crer que não

 

      «Talvez a conquista civilizacional fosse ainda mais notável se seguíssemos o recente exemplo canadiano. O Canadá aprovou a lei em 2016 para doenças terminais, em 2021 na lógica de Portugal, substitui o conceito de terminalidade por “doença ou deficiência que não possa ser curada/aliviada em condições que o próprio considere aceitável”; e, desde aí, foi o caos» («Eutanásia: a cronologia de uma obsessão», Ana Sofia Carvalho, Rádio Renascença, 8.06.2022). E um dia depois, no Café Duplo da TSF, ouvi Isabel Galriça Neto usar também a palavra. A Porto Editora pergunta se eu por acaso não quereria pesquisar «termalidade» ou «trinalidade».

 

[Texto 16 446]

Léxico: «jusromanística | pandectista»

De novo o Direito Romano

 

      «Não à toa é no seio do historicismo alemão, pelas mãos de Savigny, mas também da pandectista que se formava ainda no final do séc. XVIII por Windscheid e seu usus modernus, que se constrói a jusromanística» (A Superação do Direito como Norma: Uma Revisão Descolonial da Teoria do Direito Brasileiro, Guilherme Roman Borges e ‎Tercio Sampaio Ferraz Junior. São Paulo: Almedina Brasil, 2020, p. 78).

 

[Texto 16 445]