Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Léxico: «crochetar»

De agulhas em riste

 

      «Crochetar para combater isolamento em Massarelos» (Jornal de Notícias, 17.06.2022, p. 16). Porto Editora, por mim, fica aqui o comprovativo do direito ao reagrupamento familiar para o verbo crochetar. (Não o vamos matar na fronteira, não é?) Os crocheteiros estão à espera, de norte a sul, de agulhas em riste.

 

[Texto 16 483]

Léxico: «sanduicheira»

Mais ecológico do que isso

 

      Tive de ir comprar uma sanduicheira (enfim, com uns fumos de purista, não lhe daria este nome, mas assim estão à venda) para uma viagem. E, como é para um piquenique, garanto que não a vou ligar a uma azinheira, como somos levados a crer ao ler a definição do dicionário da Porto Editora: «electrodoméstico constituído por duas superfícies quentes articuladas que se fecham e no meio das quais se colocam sanduíches para aquecer ou tostar». Nada, o meu é um despretensioso recipiente de plástico para transportar sandes.

 

[Texto 16 480]

Léxico: «caracol-de-topo-cortado» e mais três

Vários caracóis

 

      «Em Portugal vivem quase 90 espécies e entre as mais comuns destacam-se a caracoleta (Helix aspersa), o caracol-de-topo-cortado (Rumina decollata), a caracoleta-moura (Otala lactea), o caracol-das-cervejarias (Theba pisana) e o caracol-amarelinho (Cepaea nemoralis). As diferentes espécies distinguem-se precisamente pela concha calcária que pesa pouco mais de um terço do peso total, e há características comuns a todas elas» («Caracol, caracolinho. Sai mais um para o pratinho», Cristina Pombo, «Revista E»/Expresso, 27.05.2022, p. 72).

 

[Texto 16 479]