Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Linguagista

Definição: «cria»

Nem de propósito

 

      «“O plano de emergência teve início no mês de março com a prospeção e localização de colónias e ninhos em áreas de produção de feno por parte do CIBIO/BIOPOLIS – Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos”, afirma o ICNF. Acrescenta que a escolha desta data coincide com a nidificação da águia-caçadeira, uma espécie que põe em risco os ovos, crias e, por vezes, adultos tartaranhão-caçador» («Espécie de ave em risco devolvida à vida selvagem no Alentejo», Guilherme Lopes, Jornal de Notícias, 20.07.2022, 20h55).

      Ah, isto vem mesmo a calhar. De cria, a Porto Editora, e creio que todos os dicionários, diz que é o «animal de mama; filhote». Esqueçamos este último, filhote, porque não adianta rigorosamente nada para esta indagação. A definição remete-nos logo para um mamífero, ou não? E é isso que se pretende, ou a definição é incorrecta? Então e no caso, que é o do artigo citado, das aves?

 

[Texto 16 679]

Léxico: «anteplano»

Desconhecido por cá...

 

      «O anteplano de urbanização de 1944, de Rogério de Azevedo, acentua a importância do eixo, colocando a oriente os novos Paços do Concelho e a poente o mercado, que é erguido de imediato. Abre-se também a cidade a Monte Córdoba, Sra. da Assunção e à paisagem envolvente» («A importância do urbanismo», José A. Rio Fernandes [geógrafo e professor da Universidade do Porto], Jornal de Notícias, 13.07.2022, p. 18).

 

[Texto 16 678]

Definição: «antípodas»

Explicando de outra maneira

 

      A antípodas eu acrescentaria isto: «GEOGRAFIA dois pontos da superfície terrestre situados a latitudes com valores iguais mas com nomes ou sinais diferentes e a longitudes que diferem 180°, ou seja, o ponto em que nos encontraríamos se traçássemos uma linha recta imaginária atravessando o centro da Terra.» Feito isso, descansava, planeava as férias, bebia, em antegozo das férias, um mojito.

 

[Texto 16 677]

Léxico: «esturjão-de-lago | peixe-remo | regaleco»

Antes que se extingam

 

      «O esturjão-de-lago passou da categoria de “criticamente em perigo” para “extinto na natureza”. A reavaliação do IUCN também confirmou a extinção do peixe-remo chinês» («Tigres continuam em ameaça de extinção, mas população é maior do que se pensava», Observador, 21.07.2022, 15h01). Foi recentemente notícia a captura de um peixe-remo, ou regaleco, de nome científico Regalecus glesne gigantesco no Chile. Menos assustador é o esturjão-de-lago (Acipenser fulvescens), um peixe de água doce das regiões temperadas da América do Norte.

 

[Texto 16 676]

Léxico: «caput | extratecto»

Mas usam eles

 

      «Os penduricalhos procuram se sustentar como indenizações, pois o parágrafo 11 do mesmo artigo constitucional citado estabelece que “não serão computadas, para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo, as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei”. Procurei, mas não encontrei legislação sobre o assunto no caso de servidores públicos. Entretanto, na mesma edição da Folha de S. Paulo citada o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou que existe no Congresso “projeto de lei que versa sobre verbas indenizatórias, o chamado extrateto”» («Penduricalhos no Judiciário e no Ministério Público», Roberto Macedo, O Estado de S. Paulo, 21.07.2022, p. A4).

 

[Texto 16 675]

Léxico: «penduricalho»

Agora explicado

 

      «Penduricalho é o termo usualmente adotado para remunerações adicionais que podem levar à superação do teto salarial dos servidores públicos. A definição desse teto está na Constituição federal, cujo artigo 37, inciso XI, assim determina: “A remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos, funções e empregos públicos da administração direta, autárquica e fundacional, dos membros de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos municípios, dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos, e os proventos, pensões ou outra espécie remuneratória, percebidos cumulativamente ou não, incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza, não poderão exceder o subsídio mensal, em espécie, dos ministros do Supremo Tribunal Federal, aplicando-se como limite, nos municípios, o subsídio do prefeito, e nos Estados e no Distrito Federal, o subsídio mensal do governador no âmbito do Poder Executivo, o subsídio dos deputados estaduais e distritais no âmbito do Poder Legislativo e o subsídio dos desembargadores do Tribunal de Justiça, limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal, em espécie, dos ministros do Supremo Tribunal Federal, no âmbito do Poder Judiciário, aplicável este limite aos membros do Ministério Público, aos procuradores e aos defensores públicos”» («Penduricalhos no Judiciário e no Ministério Público», Roberto Macedo, O Estado de S. Paulo, 21.07.2022, p. A4).

 

[Texto 16 674]