Erros no «Público»

Almoço de trabalho

 

 

      «Um exemplo entre muitos. Apesar de atraído pelas “excelentes fotografias de Daniel Blaufuks”, o leitor Carlos Coutinho, de Matosinhos, não chegou a ler a reportagem intitulada “Sob o signo de W.G. Sebald”, anteontem publicada no suplemento Ípsilon. Explica porquê: “(...) Na legenda da fotogafia [sic] da primeira página li, com espanto: ‘Quando nos anos 90 W.G. Sebald escreveu ‘Os Anéis de Saturno’ e referiu um funeral em Framingham Earl, teria-lhe ocorrido...’ E já não li mais. ‘Teria-lhe’ (...)? Numa reportagem que certamente terá sido dispendiosa, em Inglaterra, sobre um escritor? Ao que chegamos!”» («Regresso aos erros», José Queirós, Público, 11.12.2011, p. 55).

      Primeira conclusão do provedor: «O leitor terá assim perdido a também excelente peregrinação literária com que a autora do texto, Susana Moreira Marques, assinalou o décimo aniversário da morte de Sebald, mas a sua irritação é compreensível.» Perdeu a reportagem, mas conservou a paciência. O nosso leitor Francisco Agarez comentou aqui: «Enquanto almoçava, dei-me ao exercício de assinalar erros ou carências de pontuação no artigo em apreço. Contei só 65.»

      «Suspeito que só a pressão dos leitores, e uma maior visibilidade das suas reclamações, poderá colocar o problema do controlo de qualidade dos textos no nível adequado das prioridades editoriais.» Mas como, se os leitores também se queixam «de que são geralmente ignorados os comentários que enviam para o PÚBLICO, e nomeadamente para as caixas de comentários da edição online»?

 

[Texto 802]

Helder Guégués às 09:56 | comentar | favorito
Etiquetas: