Como se escreve nos jornais

Hum...

 

 

      «O facto de ter sido o herói da Segunda Guerra – o primeiro-ministro que avançou para o confronto com Hitler quando, na Grã-Bretanha, havia um sentimento pró-germânico bastante instalado – é tão poderoso que atira para plano secundário um facto interessante» («Winston Churchill. As memórias extraordinárias do homem das nossas vidas», Ana Sá Lopes, i, 17.12.2011, p. 8).

     O facto... o facto. Não é um pouco circular? Não são factos a mais? O que mais me espantou, porém, foi uma citação que Ana Sá Lopes faz da obra Memórias da II Guerra Mundial, de Winston S. Churchill (Texto Editora, 2011): «A ascensão de Hitler é explicada em parte pela violenta crise económica e pelo desemprego generalizado: “No auge da inflação, uma libra esterlina valia 4,3 biliões de marcos. As consequências sociais e económicas dessa inflação foram fatais e de grande alcance.”» Uma libra esterlina valia mesmo 4,3 biliões de marcos?

 

[Texto 851]

Helder Guégués às 12:28 | favorito
Etiquetas: