«Porque», advérbio interrogativo

Sempre teremos a arteirice

 

 

      «Em Janeiro, as iranianas foram proibidas de assistir a jogos de futebol ao vivo. Mas não se preocupem, minhas senhoras: o prof. Freitas arranjará uma solução. Porque não desfiles de moda, com véu e tudo? Também por aí passou a diplomacia sino-americana. Na verdade, foi num desfile de moda jugoslava, em Varsóvia, que em 1969, com instruções de Nixon, o embaixador dos EUA abordou o encarregado de negócios chinês. Teríamos, então, o futebol para homens e, para senhoras, desfiles de moda. E por que não, professor, desfiles de moda euro-árabes? Em Paris. Poderia o professor rever amizades pretéritas. We will always have Paris, José» («Teremos sempre Paris, José», Pedro Lomba, Público, 20.12.2011, p. 32).

      Pedro Lomba ainda não se decidiu pela grafia definitiva do advérbio interrogativo. Anda a ensaiar nas crónicas.

 

[Texto 859] 

Helder Guégués às 08:53 | comentar | favorito
Etiquetas: