«Tese/dissertação»

Nem em Trás di Munti

 

 

      «O Jon Schubert, um suíço que estuda na Escócia e passou a infância em Angola, usou a bolsa para fazer um ano de trabalho de campo sobre memória e política na Angola pós-guerra civil. Vai redigir a sua tese de doutoramento no próximo ano e meio. [...] O Marcos Santos terminou a investigação e a escrita da sua tese de mestrado sobre theileriose bovina (não perguntem) que concluiu e defendeu com excelente nota. [...] A Tânia Madureira é antropóloga e foi a primeira a partir, para um trabalho de campo em Trás di Munti, na ilha cabo-verdiana de Santiago. Veio de lá carregada de imagens e gravações que entretanto transcreveu, e encontra-se a redigir a sua tese de mestrado» («Bolsas 2.0», Rui Tavares, Público, 19.12.2011, p. 32).

      Já o vimos várias vezes no Assim Mesmo: dissertação de mestrado e tese de doutoramento. Confundir tudo ou trocar as designações nunca pode redundar em nada de bom.

 

 

[Texto 863]

Helder Guégués às 10:12 | comentar | favorito
Etiquetas: