Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Linguagista

Sobre «barullo»

Devem-nos esta

 

 

      «El juez José Castro acudió, de manera excepcional, a tomar declaración a un imputado en la sede de la Fiscalía en Palma. Una discreción obligada para cerrar una decisión largamente meditada, negociada por el afectado. Pepote, el jueves 15 de diciembre, declaró al atardecer para evitar los ojos de periodistas y el barullo de la sede de los juzgados» («Pepote, amigo de Urdangarin, dio al juez las claves contra el duque», Andreu Manresa, El País, 3.01.2012).

      O étimo é, pois claro, o português «barulho» e a acepção confusão, desordem ruidosa entre muitos.

 

[Texto 905]

2 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Montexto 05.01.2012 11:41

    Caro Paulo, os Espanhóis até o podem reconhecer. Quem o não reconhece nem reconhecerá são os desportugueses. 
  • Comentar:

    Comentar via SAPO Blogs

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.