Como se escreve nos jornais

Para o anedotário

 

 

      «Depois do almoço, há-de caminhar, com uma esfregona na mão, um balde na outra, até ao pavilhão da prisão. Faz parte da brigada hergoterapêutica, o grupo que limpa aquele espaço comum em regime de voluntariado, no pressuposto de que mata tempo, faz algo pela comunidade, ganha sentido de responsabilidade» («No Clube K», Ana Cristina Pereira, «P2»/Público, 20.01.2012, p. 4).

      Deve ter sido o recluso que aspirou — e a senhora jornalista, cheia de medo, apontou: hergoterapêutica. Na redacção, nem se lembrou de ir consultar um dicionário. Para quê, não é?

 

[Texto 988] 

Helder Guégués às 17:06 | comentar | favorito
Etiquetas: