Tradução: «call»

Discrição...

 

      «E acrescenta: “Foi aqui que a sr.ª Williams começou realmente a perder a compostura. Ela e o sr. Ramos começaram, efetivamente, a falar um por cima do outro. Ela insistia que não fez batota – completamente defensável, mas não era esse o ponto –, enquanto ele fazia um call sobre o qual, a determinada altura, foi muito pouco discreto”» («Martina Navratilova junta-se ao debate e critica Serena», Rui Frias, Diário de Notícias, 10.09.2018, 17h35).

      Bem, dir-se-á assim na gíria desportiva anglo-saxónica, não em português. Não se podia, sem prejuízo — antes pelo contrário — do significado desportivo, traduzir por «advertência», por exemplo? Já sobre a substância da questão, não compreendo o que pretende Martina Navratilova dizer com a pouca discrição do árbitro português. Veja-se a definição de call nos English Oxford Living Dictionaries: «(in sport) a decision or ruling made by an umpire or other official, traditionally conveyed by a shout, that the ball has gone out of play or that a rule has been breached». Até porque, por entre a berraria arrogante e despropositada da Sr.ª Serena Williams, que assim desmente o seu próprio nome, seria muito difícil fazer-se ouvir.

 

[Texto 9894]

Helder Guégués às 20:57 | comentar | favorito | partilhar
Etiquetas: ,